UAI

2

Anvisa pede deportação de argentinos horas antes de jogo contra o Brasil

Agência notificou autoridades de saúde e Polícia Federal orientando pelo retorno de quatro atletas da Seleção Argentina ao país de origem

05/09/2021 14:52 / atualizado em 05/09/2021 16:46
compartilhe
Anvisa solicitou a deportação de quatro jogadores da Argentina
foto: TyC Sports/Reprodução

Anvisa solicitou a deportação de quatro jogadores da Argentina

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu a deportação de quatro jogadores da Seleção Argentina - Giovani Lo Celso, Cristian Romero, Emiliano Buendía e Emiliano Martínez - por terem prestado informações falsas no formulário de entrada de estrangeiros no Brasil.

O comunicado do órgão federal foi divulgado às 12h43 deste domingo, horas antes do duelo pela oitava rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022. Brasileiros e argentinos medem forças às 16h, na Neo Química Arena, em São Paulo.

A Anvisa afirmou ter recebido “notícias não oficiais” de que os quatro jogadores mentiram ao declarar que não haviam passado por nenhum dos países com restrições nos últimos 14 dias - Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia.

“Ante a notícia, a Anvisa notificou de imediato o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde Nacional (CIEVS/MS), que coordena a rede CIEVS, responsável pela investigação epidemiológica junto ao estado de São Paulo e ao município de Guarulhos, para que o caso fosse investigado e rastreado”.

“Diante da confirmação de que as informações prestadas pelos viajantes eram falsas, a Anvisa esclarece que já comunicou o fato à Polícia Federal, a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente”.

Conforme a Anvisa, houve descumprimento da Portaria Interministerial nº 655/2021 e às normas de controle imigratório brasileiro. Assim, a entidade orientou as autoridades locais a deportarem os jogadores do território nacional.

Imagens da TyC Sports captaram o momento em que a Polícia Federal compareceu à concentração da Seleção Argentina. Todavia, Lo Celso, Romero, Buendía e Martínez embarcaram normalmente no ônibus rumo à Neo Química Arena para enfrentar o Brasil.

O jornal esportivo Olé, da Argentina, noticiou que a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) pressionou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a intervir para que os quatro atletas continuassem à disposição do técnico Lionel Scaloni, sob pena de o Brasil perder os pontos da partida.

De acordo com a publicação, a Conmebol exigiu da CBF o respeito ao acordo de isenção de quarentena firmado pelos dez países sul-americanos nas realizações de competições continentais, como a Copa América, as Eliminatórias, a Copa Libertadores e a Copa Sul-Americana.

O Olé lembrou que a própria CBF reclamou o fato de os clubes ingleses não terem liberado os atletas para a Seleção Brasileira: Alisson, Fabinho e Roberto Firmino (Liverpool); Ederson e Gabriel Jesus (Manchester City); Thiago Silva (Chelsea), Fred (Manchester United), Raphinha (Leeds United) e Richarlison (Everton).

Assim, a albiceleste terá todo o grupo à disposição e atuará com Martínez; Montiel, Romero, Otamendi e Acuña; Di María, Paredes, De Paulo e Lo Celso; Messi e Lautaro Martínez.

Nas Eliminatórias da Copa do Mundo, a Argentina está em segundo lugar, com 15 pontos, enquanto o Brasil detém 100% de aproveitamento, em primeiro, com 21.

LEIA A NOTA COMPLETA DA ANVISA

Em virtude das informações de que quatro jogadores argentinos ingressaram no Brasil descumprindo as regras sanitárias do país, ao supostamente declararem, em formulário oficial da autoridade sanitária brasileira, informações falsas, a Anvisa se reuniu com representantes do Ministério da Saúde e com a Coordenação de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo neste sábado (4/9).

Após reunião com as autoridades em saúde, confirmou-se, após consulta dos passaportes dos quatro jogadores envolvidos, que os atletas descumpriram regra para entrada de viajantes em solo brasileiro, prevista na Portaria Interministerial nº 655, de 2021, a qual prevê que viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia, estão impedidos de ingressar no Brasil.

Os jogadores em questão declararam não ter passagem por nenhum dos 4 países com restrições nos últimos 14 dias. Os viajantes chegaram ao Brasil em voo de Caracas/Venezuela com destino a Guarulhos. Porém, notícias não oficiais chegaram à Anvisa dando conta de supostas declarações falsas prestadas por tais viajantes.

Ante a notícia, a Anvisa notificou de imediato o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde Nacional (CIEVS/MS), que coordena a rede CIEVS, responsável pela investigação epidemiológica junto ao estado de São Paulo e ao município de Guarulhos, para que o caso fosse investigado e rastreado.

Diante da confirmação de que as informações prestadas pelos viajantes eram falsas, a Anvisa esclarece que já comunicou o fato à Polícia Federal, a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente.

Há notório descumprimento da Portaria Interministerial nº 655/2021 e às normas de controle imigratório brasileiro.

A Anvisa considera a situação risco sanitário grave, e por isso orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro, nos termos do art. 11, da Lei Federal nº 6437/77.

Compartilhe