Cruzeiro pentacampeão

DA ARQUIBANCADA

A quinta estrela do verdadeiro 9 a 2

Os músculos dos braços e pernas mantêm os espasmos provocados pelo girar de camisas, pulos de incentivos, abraços ao gol e o aliviar a cada ação do maior goleiro do Brasil: Fábio. De novo, ele foi o herói!

postado em 28/09/2017 00:29 / atualizado em 22/12/2017 14:59

Arquivo pessoal

A constelação está completa. Conquistamos nosso primeiro pentacampeonato nacional.

A noite desta quarta-feira ainda ressoa no coração. Os olhos ainda estão vermelhos de tanto choro de alegria. Os músculos dos braços e pernas mantêm os espasmos provocados pelo girar de camisas, pulos de incentivos, abraços ao gol e o aliviar a cada ação do maior goleiro do Brasil: Fábio. De novo, ele foi o herói!

O nosso Mineirão ainda é uma caixa sonora, que mesmo vazio nessa manhã, ainda ecoa os cânticos e gritos que despejamos initerruptamente desde a abertura dos portões, até o apagar das luzes na penumbra da noite vitoriosa.

No ouvido dos jogadores guerreiros que honraram o manto azul ainda escorrem os nossos incentivos sonoros. Nunca mais ficarão livres disso, para sorte deles, que um dia tiveram a chance de serem campeões vestindo uma camisa gigantesca como a do Cruzeiro/Palestra.

A noite de ontem foi uma pintura da natureza. Vista do céu, a Terra nunca esteve tão azul. Visto cá da Terra, o céu nunca esteve tão estrelado. Eram bilhões de pontos piscando, brilhando, sorrindo e batendo palmas luminosas, em forma de estrelas, para o nosso Cruzeiro.

O céu só aplaude os gigantes.

O gigante do futebol de Minas Gerais, agora, vai dar um tempo no 6 a 1. A noite mágica de ontem também foi generosa com os sofredores do Atlético de Lourdes. Ela deu a eles a realidade do que até então era só uma fantasia para espantar os fantasmas da Arena do Jacaré e da Série B: eles viram materializar o verdadeiro e incontestável 9 a 2!

9, N-O-V-E títulos nacionais do Gigante Cruzeiro contra 2, dois, do patético clube de torcedores de sapatênis, shoppings, baladas e história forjada em fracassos.

A partir de hoje, no primeiro dia do verdadeiro 9 a 2, se inicia uma nova saga na quase centenária história do vencedor Cruzeiro. Iremos em busca das outras duas constelações de cinco estrelas: penta do Brasileiro e quiçá, penta da Libertadores! De quebra, nesse caminho, conquistaremos o que ainda nos falta: o Mundial. Nada é impossível para a La Bestia Negra, o Rei de Copas.

Enquanto o mundo vai se derramando em corrupção, favorecimentos escusos, ódio, homofobia disfarçada e tudo de ruim que os fracassados sobrevivem, nós cruzeirenses, seguiremos a ordem escrita na tábua de nossa fundação em 1921: ser grande! Ser espaço de esperança, honradez e principalmente, de sempre trabalhar para conquistar títulos. Seis, nove e sempre mais!




Tags: gustavo nolasco da arquibancada cruzeiroec fabio heroi copadobrasil2017