UAI

2

Yisela avalia trajetória no Atlético e desafios no futebol brasileiro

Atacante colombiana admite dificuldades e diz que precisou 'reaprender a jogar' para atuar nas competições do país

14/07/2022 13:26
compartilhe
Yisela já atuou em 13 partidas pelo Atlético
foto: Divulgação/Atlético

Yisela já atuou em 13 partidas pelo Atlético

Contratada pelo Atlético nesta temporada, a colombiana Yisela comentou sobre a adaptação ao futebol brasileiro. Com 13 partidas realizadas pelo Galo no Campeonato Brasileiro Feminino, a atacante de 30 anos admitiu dificuldades, mas avaliou positivamente a primeira experiência fora de seu país. 

"A adaptação está sendo muito difícil, porque o futebol brasileiro é mais rápido e tem muitas jogadoras boas. Sinto que precisei me adaptar muito e ainda estou nesse processo, pois tenho que aprender muitas coisas. Sinto que precisei desaprender tudo o que eu sabia para aprender a jogar aqui. O futebol brasileiro funciona de uma forma diferente, com marcação, ataque, postura, entre outras coisas, então tenho muito mais funções em campo, e é preciso pensar mais rápido", comentou. 

Apesar do desafio, Yisela destacou o objetivo pessoal de jogar em uma
equipe do Brasil. A atacante também ressaltou que superou estigmas da sua região. 

"Eu jogava bola desde os sete ou oito anos com meninos na rua onde eu morava e na escola e sempre fui melhor que eles. Mas, lá na Colômbia, isso não era bem visto, era quase que um pecado menina jogar com meninos", contou a jogadora natural de Medellín. 

Carreira de Yisela 


Yisela passou grande parte da carreira no Formas Íntimas. Jogou também pelas
maiores equipes da Colômbia por meio das parcerias com grandes clubes de futebol profissional. Foi assim em 2017 e 2018 com o Envigado e em 2019 com o Independiente Medellín. Após sair do Formas, aos 28 anos, a atacante também jogou pelo Junior Barranquilla, em 2020, e pelo Atlético Nacional e Santa Fe, em 2021, antes de se juntar ao Galo, no início de 2022.

Pela Seleção Colombiana, atuou nas Copas do Mundo de 2015 e de 2019, nas Olimpíadas de 2016 e na Copa América de 2018. Na Colômbia, a atacante disputou edições da Copas Libertadores e enfrentou equipes brasileiras, perdendo as finais de 2013 e 2021 para o São José e Corinthians, respectivamente. 





Compartilhe