UAI


Governo de Pernambuco libera volta parcial do público aos estádios

Limite permitido é de 2,5 mil pessoas por jogo ou 20% da capacidade

23/09/2021 20:10 / atualizado em 23/09/2021 20:36
compartilhe
Arena Pernambuco poderá receber 20% da capacidade de público a partir de semana que vem
foto: Divulgação

Arena Pernambuco poderá receber 20% da capacidade de público a partir de semana que vem

 
O governo de Pernambuco mudou de ideia e resolveu antecipar a volta do público aos jogos de futebol para a próxima segunda-feira, dia 27. Serão liberados 20% da capacidade do estádios ou 2,5 mil torcedores, o que for menor. Esse número dobrará a partir de novembro.

Com a diminuição dos casos da covid-19 nos últimos dias no Estado, o governo pernambucano convocou uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, para anunciar nova flexibilização no Plano de Convivência. Dentre as medidas, ficou decidido a volta dos torcedores nos estádios, o que ocorrerá na terça-feira, em Náutico x CRB, nos Aflitos.

O presidente do Náutico ameaçou levar o duelo de Série B para outro Estado, caso não tivesse torcedor no estádio. Na competição estava liberado o público, mas havia o impedimento das autoridades, o que ocorreu nesta quinta-feira.

Quem anunciou as decisões do governo foi Ana Paula Vilaça, secretária executiva de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. "A partir desta segunda, vamos liberar a realização de um público de até 2.500 pessoas. Desses, 90% terão que ter as duas doses da vacina. Apenas 10% terão que ter ao menos uma dose, mas deverão apresentar testes negativos", afirmou.

A partir de novembro serão liberados cinco mil pessoas, mas todos necessitarão da imunização completa, o que também será necessário em demais eventos com público.

Apenas o Náutico se aproveitará da medida inicialmente, já que o Santa Cruz fecha sua participação na Série C neste sábado - já está rebaixado à Quarta Divisão. O Sport vai aguardar a decisão em reunião dos clubes da Série A, que assinaram um documento no qual só voltam a ter público quanto todos puderem ter.

Compartilhe