UAI

2

Goiás bate Athletico-PR em casa, salta na tabela e sai do Z4 no Brasileirão

Com gols de Pedro Raul e Nicolas, time esmeraldino venceu o Furacão, que poderia assumir a liderança provisória do Campeonato Brasileiro

09/07/2022 22:41
compartilhe
Jogadores do Goiás comemorando um dos gols da vitória em casa
foto: Divulgação/Goiás

Jogadores do Goiás comemorando um dos gols da vitória em casa


No Estádio da Serrinha, em Goiânia (GO), o Goiás recebeu o Athletico-PR na noite deste sábado e venceu por 2 a 1. Pedro Raul, artilheiro da equipe, e Nicolas foram os autores dos gols goianos na partida, válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. David Terans, de pênalti, diminuiu para os visitantes.


Dessa forma, com o resultado, o time goiano chegou aos 20 pontos e saltou na tabela - saiu da zona do rebaixamento, na 17ª posição, para o 11º lugar. Já pelo lado paranaense, o clube perdeu uma invencibilidade de 14 jogos somando todas as competições sob o comando de Felipão e, também, caiu para a terceira colocação. A equipe está empatada em pontos com o Fluminense, ambos com 27, mas fica atrás pelos critérios de desempate.

Pela próxima rodada, portanto, o Goiás tem confronto direto na briga contra o rebaixamento contra o Juventude, fora de casa, às 11 horas (de Brasília) de domingo (17). Por sua vez, o Athletico-PR recebe o Internacional em duelo pelas primeira posições, um dia antes, a partir das 16h30.

Antes, porém, ambas equipes disputam, no meio da semana, os jogos de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O Goiás enfrenta o Atlético-GO em clássico regional na quarta-feira, às 19 horas. No dia anterior, terça, o Athletico-PR duela contra o Bahia, a partir das 20h30.

O jogo: Goiás faz os gols no primeiro tempo


Mesmo não vivendo bom momento, o Goiás se agarrou ao fator casa e partiu para cima. A equipe, então, foi recompensada logo aos cinco minutos. Diego cruzou pela direita, Nicolas desviou e Pedro Raul completou, na segunda trave, para abrir o marcador na Serrinha.

Vivendo melhor fase na temporada, o Athletico-PR foi para o ataque em busca do empate. Três minutos após o revés, Cuello perdeu grande chance. Canobbio desceu pela direita e cruzou por baixo na área. O argentino fechou livre na segunda trave, mas furou e deixou a bola passar.

Os donos da casa voltaram a se sobressair no ataque e, após roubada de bola no campo ofensivo, Nicolas assustou em chute da entrada da área, aos 38 minutos. No lance seguinte, após cobrança de escanteio, o camisa nove subiu sozinho na pequena área e testou firme. Bento até chegou a defender em cima da linha, mas a bola entrou logo em seguida.

Furacão diminui na etapa final


Na volta do intervalo, o Athletico-PR mudou a postura e com as substituições feitas por Felipão, começou a tomar conta das ações do jogo. Na altura do minuto 14, Abner chutou e a bola bateu no braço de Yan Souto. Sem titubear, o árbitro marcou pênalti.

Dois minutos depois, Terans pegou a bola e foi para a cobrança. O uruguaio não desperdiçou e diminuiu para os visitantes, deslocando o goleiro Tadeu.

Os paranaenses mantiveram o ímpeto em busca do gol da igualdade. Já nos acréscimos, aos 46, Terans teve grande chance após bola lançada na área, mas parou em Tadeu, que fez grande defesa. A pressão do Athletico-PR, portanto, não foi o suficiente para alterar o placar e a vitória ficou com os donos da casa.

GOIÁS 2 X 1 ATHLETICO-PR


Local: Estádio Hailé Pinheiro, em Goiânia (GO)
Data: 09 de julho de 2022, sábado
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (FIFA-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP-FIFA) e Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ-FIFA)
VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP-VAR-FIFA)
Cartões amarelos: Danilo Barcelos, Fellipe Bastos (Goiás); Matheus Felipe (Athletico-PR)
Gols: 
GOIÁS: Pedro Raul (5' 1ºT), Nicolas (39' 1ºT)
ATHLETICO-PR: Terans (16' 2ºT)

Goiás

Tadeu; Yan Souto, Reynaldo e Caetano; Diego (Maguinho), Caio Vinícius, Matheus Sales, Fellipe Bastos (Dadá Belmonte) e Danilo Barcelos; Nicolas e Pedro Raul (Vinicius)
Técnico: Jair Ventura

Athletico-PR

Bento; Orejuela, Pedro Henrique, Matheus Felipe e Abner Vinícius; Erick (Matheus Babi), Matheus Fernandes (Hugo Moura) e Vítor Bueno; Canobbio (Terans), Cuello (Rômulo) e Vitor Roque (Marcelo Cirino)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Compartilhe