Mais Esportes

NATAÇÃO

Minas tem 26 nadadores em Seletiva por vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Clube já tem dois atletas classificados para a modalidade: Bruno Fratus e Julia Sebastián

postado em 19/04/2021 04:00

(Foto: Orlando Bento/MTC)
Desta segunda-feira a sábado, no Parque Aquático Maria Lenk, 103 atletas disputarão a Seletiva da natação brasileira para a formação da equipe que irá aos Jogos Olímpicos de Tóquio’2021. O Minas estará representado com a participação de 26 atletas, sendo que o clube já tem dois nadadores classificados, Bruno Fratus, que assegurou o índice olímpico nos 50m livres, 21s80 – mas terá de aguardar os resultados da competição para ser confirmado – e a argentina Julia Sebastián, que integrará a equipe de seu país.

A Seletiva para Tóquio é diferente da de anos anteriores, pois ocorrerá em apenas uma etapa. Nas edições anteriores, eram quatro. De acordo com o regulamento, os dois primeiros colocados de cada prova se classificam – desde que obtenham o índice A da Federação Internacional de Natação (Fina).

No caso dos revezamentos, o masculino já está garantido. A equipe do 4x100 livres será formada pelos quatro melhores na prova individual dos 100m, sendo que o quinto colocado na final pode se credenciar como o reserva, dependendo do tempo alcançado.

Da mesma maneira será formado o revezamento 4x200m livre. Já o time do 4x100m medley será definido pelos vencedores das provas individuais dos 100m livres, 100m peito, 100m borboleta e dos 100m costas. Nesse caso, a confirmação dos nomes dependerá de avaliação da equipe técnica da Seleção.

Já os revezamentos femininos e mistos ainda dependerão de repescagem da Fina. Com a pandemia de COVID-19 terão de fazer uma prova especial, isolada, também dentro da Seletiva. Os melhores tempos, comparando-se todos os países concorrentes, estarão classificados para a Olimpíada. Essa seletiva especial ocorrerá no domingo.

Bolha e cuidados


Para a disputa da Seletiva, foi criada a 'bolha' no Maria Lenk. Os atletas ficarão hospedados próximo ao Parque Aquático. Foi criado um protocolo médico especial para a disputa da Seletiva. “Elaboramos um protocolo rígido para o Troféu Brasil no ano passado e foi um sucesso. Para a Seletiva Olímpica fizemos um protocolo ainda mais rígido”, diz o médico da Conferação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e um dos responsáveis pela elaboração do protocolo, Rodrigo Brochetto.

Entre as exigências está um teste negativo de PCR com até 72 horas de realização até a entrada no Parque Aquático. Mas a CBDA abrirá, em 12 de junho, nova oportunidade a atletas que testarem positivo para COVID-19 tentarem a classificações para os Jogos.

Dois destaques


O sonho é a marca dos nadadores do Minas que estavam se preparando desde o início do ano no Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG, na Pampulha, uma decisão do clube, pois lá, a piscina repete os padrões olímpicos.

Miguel Valente, de 27 anos, tentará vaga para sua segunda Olimpíada. No Rio’2016, ele disputou os 1.500m livres. Agora, tentará nessa e nos 400m e 800m livres. “Minha melhor prova é nos 800m. Não tenho condições de disputar as três provas. Meu melhor tempo nessa prova é 7min55s70, e o índice é 7min54s30. Nos 1.500m, meu tempo é 15min06 e o índice é 15min00s99. Estou muito próximo das duas marcas. Não tenho tempo nos 400m, mas estou em condições de brigar por uma vaga. Essa será também a primeira prova que disputarei e será importante para entrar no clima”, diz Valente.

(Foto: Orlando Bento/MTC)

Ele avalia as provas longas como as mais difíceis e dois companheiros de clube, Guilherme Costa, com quem treina todos os dias, e Diogo Vilarinho, que treina no Rio de Janeiro, como principais concorrentes.

Aline Rodrigues, de 26 anos, busca pela primeira vez disputar uma edição dos Jogos Olímpicos. Ela diz que, pessoalmente, foi favorável a ela o adiamento da Seletiva, que deveria ter acontecido em novembro. “Eu não teria condições de brigar por uma vaga naquela época, mas agora estou muito melhor preparada”, afirma. Ela mira os 100m, 200m, 400m e 800m livres. “Tenho 55s70 nos 100m, preciso de 54s30; 1min58 nos 200m, o índice é 1min57; 4min10 nos 400 e preciso de 4min07s90, e minha marca nos 800m é 8min39m e tenho de fazer 8min33.”

Treinar durante a pandemia foi difícil, segundo eles. “Mudou toda a rotina”, diz Miguel, que fala que houve dias em que não via a piscina. “A gente, muitas vezes, não sabia como e quando iria treinar. Seguia as orientações dos treinadores, mas era muito ruim”.

Já Aline diz que o mais difícil era ir treinar no CTE. “A gente, no começo, ia em grupos, de carona no carro de um e de outro. Tinha medo de pegar um caro de aplicativo ou ir de táxi, pelo risco de pegar a doença. Mas meu namorado, Guilherme Rosolen, que também é nadador, comprou uma motocicleta, e assim ficou mais fácil, pois íamos juntos todos os dias. Nem chegamos a pensar no risco que era ir de moto.”

A Argentina


Julia Sebastián é nadadora do Minas desde 2019. Ela tem índice nos 100m e 200m peito, obtidos nos Jogos Pan-americanos de Lima’2019, no Peru. Mesmo com o adiamento da Olimpíada, a Seleção Argentina decidiu manter os atletas classificados. Ela é a recordista sul-americana dos 100m peito (1m06s98) e dos 200m peito (2m24s92).

“Na Argentina, realmente era muito difícil conciliar faculdade com natação profissional. Então, comecei a focar no esporte. Fiquei fora de Londres’2012 e continuei na Seleção Argentina. Participei de todos os campeonatos internacionais que eu podia e me classifiquei para os Jogos do Rio. Consegui meu sonho de participar da Olimpíada, mesmo treinando sem as condições adequadas na minha cidade, Santa Fé. Fiquei lá até os 21 anos e depois decidi sair do país com a ideia de buscar mais infraestrutura para treinar. Escolhi o Brasil não só pela infraestrutura, mas também pelos profissionais e pelas atletas que te puxam para treinar mais forte. Mas, mesmo em outros clubes brasileiros, eu tinha que procurar fora fisioterapeuta, psicólogo.... O Minas é diferenciado aqui no Brasil não só em infraestrutura, mas com cada um dos profissionais que atuam para melhorar o desempenho dos atletas. Melhorei muitos aspectos físicos aqui e tenho muito mais qualidade de treino. Acho que isso dá para ver nos meus resultados. Melhorei até em uma outra prova que não era a minha principal, os 100m peito”, diz Julia.

E confessa que sonha alto. “Se eu posso ter um sonho, realmente seria fazer uma final olímpica. É o meu objetivo a atingir. Tem muita coisa pela frente antes dos Jogos. Vou procurar baixar os meus tempos, não é porque já estou classificada que vou relaxar, quero continuar melhorando”, diz.

A equipe do Minas


(Foto: Orlando Bento/MTC)

Aline Rodrigues – 26 anos
Provas: 400m livre (20/4), 200m livre (21/4), 4x200m livre (22/4), 100m livre (23/4), 800m livre, 4x100m medley (24/4) e 4x100m livre (25/4)

Andreas Mickosz – 24 anos
Provas: 100m peito (19/4) e 200m peito (22/4)

Beatriz Dizotti – 21 anos
Provas: 400m livre (20/4), 1.500m livre (22/4) e 800m livre (24/4)

Diego Prado – 30 anos
Provas: 100m peito (19/4) e 200m peito (22/4)

Diogo Villarinho – 27 anos
Provas: 400m livre (19/4), 800m livre (21/4) e 1.500m livre (23/4)

Eduardo Moraes – 19 anos
Provas: 400m livre (19/4), 200m livre (20/4), 800m livre (21/4) e 1.500m livre (23/4)

Felipe França – 33 anos
Provas: 100m peito (19/4) e 200m peito (22/4)

Fernanda Celidônio – 17 anos
Provas: 400m medley (19/4), 100m costas, 100m peito (20/4), 200m medley (21/4), 100m livre (23/4) e 200m costas (24/4)

Fernando Scheffer – 23 anos
Provas: 400m livre (19/4), 200m livre (20/4) e 100m livre (22/4)

Gabriel Fantoni – 22 anos
Provas: 100m costas (20/4), 200m costas (23/4) e 100m borboleta (24/4)

Gabriel Perseguin – 18 anos
Prova: 100m borboleta (24/4)

Giuliano Rocco – 27 anos
Provas: 400m livre (19/4), 200m livre (20/4), 800m livre (21/4) e 100m livre (22/4)

Guilherme Costa – 22 anos (Cachorrão)
Provas: 400m livre (19/4), 800m livre (21/4) e 1.500m livre (23/4)

Guilherme Rosolen – 26 anos
Provas: 200m borboleta (21/4) e 100m borboleta (24/4)

Kauê Carvalho – 22 anos
Provas: 200m borboleta (21/4) e 100m borboleta (24/4)

Leonardo Guedes – 32 anos
Provas: 100m costas (20/4) e 200m costas (23/4)

Lucas Kanieski – 31 anos
Provas: 400m livre (19/4), 800m livre (21/4) e 1.500m livre (23/4)

Lucas Peixoto – 20 anos
Provas: 200m livre (20/4), 100m livre (22/4) e 50m livre (23/4)

Marco Antônio Junior – 23 anos
Provas: 100m livre (22/4) e 50m livre (23/4)

Maria Eduarda Seifer – 21 anos
Provas: 400m livre (20/4), 1.500m livre (22/4) e 800m livre (24/4)

Maria Paula Heitmann – 22 anos
Provas: 400m livre (20/4), 200m livre (21/4), 4x200m livre (22/4), 100m livre (23/4), 800m livre (24/4) e 4x100m livre (25/4)

Miguel Valente – 27 anos
Provas: 400m livre (19/4), 800m livre (21/4) e 1.500m livre (23/4)

Pablo Vieira – 20 anos
Provas: 400m livre (19/4), 200m livre (20/4) e 100m livre (22/4)

Thayanne Cardoso – 23 anos
Provas: 100m peito (20/4), 200m medley (21/4) e 200m peito (23/4)

Victor Baganha – 18 anos
Provas: 100m livre (22/4), 50m livre (23/4) e 100m borboleta (24/4)

Vinícius Lanza – 24 anos
Provas: 200m borboleta (21/4), 200m medley (23/4) e 100m borboleta (24/4)

Tags: natacao toquio olimpiada maisesportes