UAI

2

Maratona de Xangai é a terceira adiada na China por causa da COVID-19

Marcada para 28 de novembro, a tradicional prova que registrou 9 mil competidores na edição passada ainda não tem nova data definida

10/11/2021 13:51 / atualizado em 10/11/2021 14:16
compartilhe
Maratona de Xangai reuniu, em novembro do ano passado, 9 mil corredores
foto: China OUT/AFP/STR

Maratona de Xangai reuniu, em novembro do ano passado, 9 mil corredores

A China sofre com novos casos de COVID-19 no país – já ultrapassou o número de mil pessoas detectadas com a variante delta – e vem cancelando suas competições esportivas para beneficiar os Jogos de Inverno marcados para 2022. Nesta quarta-feira (10/11), os organizadores confirmaram o adiamento da Maratona de Xangai, a terceira prova de rua interrompida nos últimos dias.

Marcada para 28 de novembro, a tradicional prova que registrou nove mil competidores na edição passada, ainda não tem nova data definida. Os organizadores apenas anunciaram que "em breve" divulgaram o dia da realização da maratona.

"Optamos pela saúde e a segurança dos corredores e cidadãos", anunciaram nas redes sociais os organizadores da prova, então programada para o fim do mês, mas que deve ser disputada somente em 2022.

Duas outras maratonas marcadas para a China também foram canceladas recentemente por causa do crescimento da COVID-19. Pequim e Wuhan seriam sedes de corridas em outubro, mas elas foram canceladas para "prevenir o risco de propagação da pandemia."

A China enfrenta uma nova onda de contágios provocada pela variante delta e adota medidas rígidas para erradicar os casos antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, em fevereiro.

Prevenir o risco de propagação da pandemia antes da competição de 2022, na qual deve receber 3 mil atletas, virou a prioridade no país asiático.

Compartilhe