UAI

2

Rafaela Silva volta ao pódio em Grand Slam de judô com bronze na Geórgia

Rafaela fez quatro lutas e só caiu uma vez, nas quartas de final, para a sul-coreana Mimi Huh, que faturou o ouro

03/06/2022 20:05
compartilhe
Brasileira ficou na terceira posição
foto: CBJ / Divulgação

Brasileira ficou na terceira posição


A judoca campeã olímpica Rafaela Silva (57kg) conquistou sua primeira medalha de Grand Slam em 2022 ao vencer Priscilla Gneto, da França, na luta pelo bronze do Grand Slam de Tbilisi, na Geórgia, nesta sexta-feira.

Rafaela fez quatro lutas e só caiu uma vez, nas quartas de final, para a sul-coreana Mimi Huh, que faturou o ouro. Foi a primeira medalha do Brasil, que ainda teve outras duas chances de bronze com Amanda Lima (48kg) e Willian Lima (66kg), mas ambos terminaram em quinto lugar.

Na campanha pela medalha, Rafaela bateu Leyla Umidova (Turcomenistão), caiu para Huh (Coreia do Sul), recuperou-se contra Sevara Nishanbayeva (Casaquistão) e, enfim, bateu Priscilla Gneto. Ela vai somar 500 pontos no ranking mundial e deve se aproximar do Top 10 para voltar a figurar entre as melhores da categoria e chegar ao Mundial, em outubro, como uma das cabeças de chave.

"Estou muito feliz com meu processo. Espero que seja uma virada de chave e engate mais medalhas nas próximas competições. Independentemente da cor, são esses pontos que vão me dar a classificação olímpica", projetou.

Essa foi a primeira medalha em Grand Slam desde 2019, quando conquistou o bronze em Brasília. No retorno às competições após dois anos de suspensão, Rafaela foi campeã do Grand Prix de Almada, em Portugal, em janeiro deste ano, e viu a concorrência interna crescer com Jéssica Lima, que faturou um bronze no Grand Slam de Antalya e venceu o Campeonato Pan-Americano. Resultados que mostram que o Brasil estará muito bem servido no peso Leve feminino, categoria que ficou sem representante em Tóquio.

Willian e Amanda ficam fora do pódio por pouco


Amanda e Willian Lima também fizeram ótimas campanhas e, por muito pouco, não subiram ao pódio. Amanda chegou à semifinal, depois de vencer Tamar Malca (Israel) e Katarina Tanzer (Áustria). Foi projetada por ippon por Melanie Clement (França), que conquistou o ouro. Na disputa pelo bronze, a brasileira dominava a adversária Blandine Pont (França), que sofreu duas punições. Mas, em descuido, Amanda entrou um golpe que forçou o braço da francesa e acabou sendo desclassificada (hansoku-make).

Willian, por outro lado, encarou luta duríssima na disputa pelo bronze com o atual vice-campeão olímpico, Vazha Margvelashvili, da Geórgia, que conseguiu projeção perfeita para vencer o brasileiro. Nas preliminares, Will havia vencido Hekim Agamammedov (Turcomenistão), Reda Seddouki (França), Shahboz Saidaburorov (Tajiquistão) e só caiu para o japonês Genki Koga, nas quartas.

Outros sete brasileiros lutaram nesta sexta, mas não chegaram ao bloco final. Natasha Ferreira (48kg) caiu na repescagem e ficou em sétimo lugar. Allan Kuwabara (60kg), Eric Takabatake (66kg), Yasmim Lima (52kg) e Thayane Lemos (57kg) venceram uma luta, mas pararam na segunda rodada. Ryan Conceição (60kg) e Maria Taba (52kg) ficaram na primeira rodada.

O Grand Slam de Tbilisi continua neste final de semana, com mais oito judocas do Brasil.

Compartilhe