Seleção

AFOGADOS DA INGAZEIRA FC

Por segurança, arquibancada móvel é dúvida para jogo entre Afogados e Atlético-MG

Capacidade do estádio, no sertão do estado, é de dois mil torcedores; com a plataforma móvel, mais três mil lugares poderão ser disponibilizados

postado em 26/02/2020 14:06 / atualizado em 26/02/2020 14:36

(Foto: Divulgação/Afogados)
O estádio Municipal Valdemar Viana de Araújo, popularmente conhecido como Vianão, recebe Afogados e Atlético-MG nesta noite, em jogo válido pela segunda fase da Copa do Brasil. Mas, o espaço pode não contar com a presença da arquibancada móvel, que aumenta em três mil a capacidade do público - originalmente de 2 mil. O entrave é por conta de uma exigência da Confederação Brasileira de Futebol, baseada em medidas de segurança. Em campo, a equipe classificada ganhará R$ 1,5 milhão.

De acordo com o parágrafo segundo do Regulamento Geral de Competições da CBF, para que o espaço destinado à torcida seja ampliado, uma inspeção deve ser realizada em tempo suficiente para o envio de laudos técnicos à Diretoria de Competições da CBF, no prazo de até um mês. Segundo informou a assessoria do Afogados, uma medida já foi tomada junto à prefeitura da cidade sertaneja, e agora esperam por “uma posição da CBF” para que continuem com a venda dos ingressos. 

“O que o clube pôde fazer, ele fez junto à prefeitura. Agora estamos aguardando uma posição da CBF. Os ingressos da capacidade natural do estádio já estão esgotados. Só vamos poder vender se, por acaso, as arquibancadas venham a ser liberadas”.

A plataforma esteve presente no Vianão na quarta passada, quando a coruja perdeu para o Santa Cruz por 2 a 0, em jogo do Campeonato Pernambucano. Nesta partida, o público total foi de 2.033 torcedores. E, caso seja liberada para a partida contra o time mineiro, o número total de torcedores poderá bater o recorde desde a fundação do estádio.

PARÁGRAFO 2º DO REGULAMENTO DA CBF

“As arquibancadas provisórias deverão estar totalmente concluídas e disponíveis para inspeção a tempo suficiente de permitir que sejam inspecionadas pelos técnicos competentes, quando então serão emitidos os laudos técnicos correspondentes, os quais deverão ser recebidos pela DCO em até 30 (trinta) dias antes da data prevista para a utilização do estádio”.