Seleção

ELIMINATÓRIAS

Fifa confirma eliminatórias para setembro, mas Arena de PE ainda não foi comunicada

Estreia do Brasil estava marcada para o dia 27 de março, contra a Bolívia, no estádio. Fifa também não explicou se jogos terão presença de público

postado em 25/06/2020 17:21

(Foto: Divulgação)
Mesmo com a América do Sul sendo considerada, pela Organização Mundial de Saúde, como o novo epicentro da pandemia da Covid-19 no mundo, a Fifa confirmou, nesta quinta-feira, o início das eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 para o mês de setembro no continente. O mesmo ocorrerá na Europa. A princípio, nenhuma das eliminatórias terá sua fórmula de disputa e número de jogos alterados. Inicialmente, as primeiras partidas da competição estavam marcadas para março e o Brasil faria sua estreia contra a Bolívia, na Arena de Pernambuco.

Procurado pelo Diario, o diretor-geral da Arena de Pernambuco, Kleber Borges, revelou que ainda não recebeu nenhum comunicado oficial da Fifa. Para a partida que seria realizada no dia 27 de março, cerca de 30 mil ingressos já foram vendidos. 

"Existe um trâmite. A Fifa comunica à CBF, que organiza os comunicados e envia para as federações. E no nosso caso, a Federação Pernambucana manda para mim", explicou o responsável pela Arena, que também evitou tecer comentários sobre a possibilidade da partida ser disputada sem público, ou mesmo com capacidade reduzida. O que inevitavelmente acarretará em devolução de ingressos.

"Como não tenho nenhuma notícia oficial ainda, não tenho como dar uma opinião sobre isso. Não sei se vai ser com público ou sem público. Preciso esperar chegar o comunicado oficial. Só posso começar a ter um receio ou não quando receber alguma informação concreta. Mas é bom deixar claro que os ingressos são 100% da Fifa, que me paga apenas o aluguel do estádio", explicou. 

Vale ressaltar que outras competições internacionais disputadas no continente sul-americano, como a Taça Libertadores e a Copa Sul-Americana seguem sem datas certas para retornar. Na sua coletiva de imprensa, o presidente da Fifa, Gianni Infantino disse que, na elaboração dos ajustes no calendário, foram levadas em conta todas as partes envolvidas.

"Estamos preocupados com a saúde dos jogadores. Demos a opção de cinco substituições. Não acho que o problema é dos clubes ou das associações. Cada um pensa em si, e a Fifa tem que achar a melhor solução e nem todo mundo vai ficar feliz", disse o dirigente.