Seleção

NÁUTICO

Junto à FPF e CBF, Náutico entrará com mandado para manter semi com Juventude

Até o final da manhã da próxima sexta-feira, o Timbu terá o veredicto do caso; partida contra o Juventude havia sido remarcada para segunda, às 20h

postado em 19/09/2019 20:03 / atualizado em 19/09/2019 20:45

<i>(Foto: Paulo Paiva/DP FOTO )</i>
Após o adiamento da semifinal da Série C entre Náutico e Juventude, que aconteceria no próximo domingo, no estádio dos Aflitos - ser oficializado na noite desta quinta-feira, a pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou, horas depois da decisão, a nova data do duelo, na próxima segunda-feira, às 20h.  Porém, os dirigentes do Timbu, juntamente com a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) e a CBF produziram um mandado de segurança para ser enviado na manhã desta sexta-feira, e assim manter a partida na data e horário pré-definidos. O adiamento do jogo foi motivado pelo baixo efetivo da Polícia Militar para atender a demanda, no mesmo dia, do duelo eliminatório e o show da banda americana Bon Jovi, no Arruda. 
 
“Amanhã pela manhã estará entrando um mandado de segurança conjunto da CBF, FPF e Náutico para que a partida seja mantida no horário pré-marcado. A gente quer que seja resolvido amanhã. O mais rápido possível, inclusive para voltar a vender ingresso, nossa programação normal. Isso é um absurdo. Atrapalha tudo. A CBF já colocou na segunda-feira à noite, mas queremos que volte para o domingo”, esclareceu o vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga. 

A reportagem do Superesportes ainda entrou em contato com os mandatários do Náutico e da FPF, Edno Melo e Evandro Carvalho, respectivamente, e ambos foram categóricos quanto à precariedade da segurança em Recife que, neste caso, não conseguiria dar suporte aos eventos.  
 
“A CBF já está entrando com a apelação, vai recorrer da decisão. O Náutico recebe com tristeza (a decisão), é lamentável ter um estado que não consegue receber dois eventos. Um jogo de torcida única, que não tem nenhum risco. Não é um clássico, não é nada. Não pode dar conta de um evento musical em um jogo de torcida única? Muito triste, lamentável”, desabafou o mandatário. 

Recorrendo desta decisão, no entanto, Edno Melo pregou cautela quanto à apelação e prevê o imbróglio sendo definido até esta sexta-feira. “Essa decisão pode mudar a qualquer hora, amanhã devem decidir”, disse. “Sinceramente, não vou criar nenhuma expectativa (sobre a aceitação). A CBF está no direito dela de recorrer e foi assim que ela procedeu”.

Já o presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evando Carvalho adotou um tom mais áspero. “Cheguei na Federação e vou começar a trabalhar com os advogados agora. A gente não tem hora para sair. Vamos buscar reverter a medida amanhã até o final do dia, judicialmente. A prevalecer essa medida, a gente tem que fechar o Estado e todo mundo se mudar, porque se o Estado não pode fazer dois eventos comuns desses, a gente se muda, vamos para Paraíba, vamos para o Rio Grande do Norte e fecha o Estado. Pronto, simples”, disparou.  

“O Rio de Janeiro vai ter o Rock in Rio domingo, com 100 mil pessoas e o jogo do Flamengo com 70 mil. Ir para um evento de 20 mil e outro de 8 mil a gente não pode fazer. Então, vamos fechar o Estado. A gente puxa o governador, todo mundo. Vamos dividir Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte e fecha Pernambuco”, concluiu Evandro de Carvalho. 

Minutos depois da decisão ser publicada no site do Ministério Público de Pernambuco, o Náutico, através de suas redes sociais, divulgou a nova parcial de ingressos para o jogo contra o Juventude, com 5.413 ingressos vendidos antecipadamente.