VIOLÊNCIA

Governo do Estado pede julgamento imediato de ações para a extinção das organizadas

Para a Procuradoria-Geral do Estado, o pedido de urgência tem como objetivo concretizar o interesse público pelo fim das facções

(Foto: Paulo Paiva/DP)
Onze dias após autointitulados integrantes da Torcida Jovem do Sport agredirem torcedores do Santa Cruz que comemoravam o aniversário do clube no bairro da Boa Vista, mais um passo foi dado na direção da extinção das três principais facções organizadas do Estado: Torcida Jovem, do Sport, Inferno Coral, do Santa Cruz, e Fanáutico, do Náutico. Nesta sexta-feira, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) solicitou o julgamento "imediato e simultâneo" de duas ações que solicitam a extinção desses grupos.

O pedido foi protocolado na 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca do Recife. A primeira ação civil pública pedindo o fim das três organizadas é de 2012, enquanto a ação ordinária data de 2014. A PGR também pede, em definitivo, "a proibição do acesso, permanência ou reuniões dessas “torcidas organizadas” dentro e fora dos estádios.

“Os recentes eventos de violência envolvendo torcidas organizadas, inclusive fora das arenas esportivas, corroboram a necessidade de desfecho dos processos, com o julgamento de mérito favorável às pretensões, pronunciando-se a total procedência dos pedidos, em ordem a impor o almejado fim das ditas 'torcidas organizadas', coibindo-se a prática de atos de violência e crimes, dentro e fora dos estádios de futebol", diz um trecho do requerimento da PGR.

Ainda segundo a procuradoria, o pedido de urgência tem como objetivo concretizar o interesse público, pedindo a dissolução das torcidas, impedindo novas ocorrência de crimes por parte dos integrantes desses grupos.

Por meio de nota, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) informou que na próxima semana, o juízo da 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital decidirá sobre os pedidos de julgamento das ações.

Procurado pelo Superesportes, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Carvalho, comemorou o pedido da PGR. “Essa foi uma medida necessária dentro do processo técnico e que precisava ser feita para agilizar o processo de extinção dessas torcidas”, comemorou o dirigente.