FEMININO

Expectativa da FPF é de iniciar Campeonato Pernambucano feminino no mês de julho

Para diretor da categoria, graças ajuda financeira da CBF, este ano será "melhor que os outros" para os times de futebol feminino do Náutico e Sport

postado em 23/04/2020 13:09 / atualizado em 23/04/2020 13:41

(Foto: Divulgação/FPF)
Com sete equipes na disputa, o Campeonato Pernambucano feminino deste ano estava previsto para ser iniciado neste mês. Porém, a pandemia causada pelo novo coronavírus impossibilitou a estreia das jogadoras de Central, Ferroviário do Cabo, Íbis, Ipojuca, Náutico e Sport até o momento. De acordo com o diretor da categoria, Elias Coelho, caso uma melhora seja identificada no cenário, a competição deverá ser iniciada no mês de julho.

O diretor aproveitou para reforçar que, graças a uma ajuda dada pela CBF às duas equipes do estado que também disputam o Brasileiro, a única “preocupação” financeira será com o deslocamento da arbitragem nos jogos. “Sport e Náutico receberam, cada, uma ajuda de R$ 50 mil. Com isso, já começamos melhor que nos outros anos. Acredito que vamos iniciar o estadual no segundo semestre, em julho. A única coisa que o futebol feminino vai ter que custear será a ajuda de custo ao árbitro, que no caso é o deslocamento dele”, disse.

Com otimismo, Elias exaltou que a única dificuldade no retorno às atividades será em termos de datas, por conta do calendário que deverá ser ainda mais apertado após a pandemia, sobretudo para os times que disputam a competição estadual e a nacional de forma simultânea. “A única dificuldade que teremos será de tabela. Com o espaço dos jogos, já que vamos ter Sport e Náutico jogando a Série A2 e o Pernambucano”, comentou.
 
“Não tenho o quê reclamar, só o tempo de calendário, mas Náutico e Sport estão cientes. Se tudo andar normalmente, devemos estar voltando em julho”, projetou Elias.

BRASILEIRO

Sport e Náutico são as únicas representantes de Pernambuco no Brasileiro. Ambas no grupo C da A2. Até agora, rubro-negras e alvirrubras disputaram apenas a primeira rodada da competição (que em tempos normais estaria na quinta).
 
A ajuda financeira às atletas de Sport e Náutico se estende também de forma indireta, com economia em taxas e transferências. “Foi definido que as equipes não pagarão taxa de inscrição e as transferências serão sem custo para os clubes. Tudo isso será pago pela CBF. E a taxa de arbitragem, já era sem custo antes”, disse Elias.
 
O representante da FPF fez questão ainda de explicar como funciona o suporte que as atletas recebem durante os jogos de nível nacional. “Em jogos de ida pelo Brasileiro, por exemplo, a CBF é quem  paga tudo. São 25 passagens, 25 estadias e mais R$ 10 mil. Quando jogam em Pernambuco, recebem R$ 10 mil para despesas, como arbitragem e ambulância, por exemplo”, exemplificou.
 
Em Paulista, no dia 15 de março, o Leão perdeu por 3 a 2 para o Cruzeiro. Já o Timbu, no mesmo dia, perdeu por 3 a 1 nos Aflitos, para as paraibanas do Auto Esporte. Sem nenhuma previsão para retorno da competição ou maiores informações, o diretor da FPP comentou que a única coisa a ser feita é aguardar. “Tínhamos a Série A2 com Náutico e Sport jogando a primeira rodada. Agora é esperar como vai ficar o futebol para saber quando retorna”, disse Elias.