PARAPAN LIMA

Brasiliense será o porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura do Parapan

Entre tantas estrelas no Parapan de Lima, como o nadador Daniel Dias, dono de 24 medalhas paralímpicas e 27 ouros para-panamericanos, Leomon Moreno será o representante brasileiro

postado em 23/08/2019 12:14 / atualizado em 23/08/2019 14:52

<i>(Foto: CBDV/Divulgação)</i>
 
Lima — Após curtir os Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 por 17 dias, a capital peruana volta à atmosfera esportiva com os Jogos Parapan-Americanos. Cartazes estampando a mascote do evento seguiram espalhados pelos bairros turísticos da cidade nos 12 dias que separaram as duas competições. Se no torneio anterior o Brasil registrou o maior número de ouros na história do país no evento — 54 das 171 vezes que subiu ao pódio —, agora o Hino Nacional promete tocar ainda mais. E será um brasiliense de 26 anos o responsável por liderar a entrada da maior delegação brasileira no histórico do Parapan, na cerimônia de abertura, hoje, a partir das 21h, no Estádio Nacional do Peru.

Entre tantas estrelas no Parapan de Lima, como o nadador Daniel Dias, dono de 24 medalhas paralímpicas e 27 ouros para-panamericanos, Leomon Moreno será o porta-bandeira do Brasil. “Nada melhor do que ser o porta-bandeira da melhor nação do mundo, que é o Brasil”, brincou o atleta nascido no Riacho Fundo, considerado o melhor jogador de goalball do mundo. A honraria anunciada ontem, durante a festa para hasteamento da flâmula nacional na Vila dos Atletas, pegou o brasiliense de surpresa.

“É uma grande responsabilidade representar 337 atletas. Também é muito importante para o goalball, um dos esportes que mais cresce no mundo”, vibrou. A modalidade é exclusivamente para pessoas com deficiência visual. A disputa consiste em duas equipes compostas por três pessoas de cada lado da quadra, com objetivo de arremessar a bola com as mãos e balançar as redes em um gol de 9 metros de largura e 1,30m de altura. Leomon perdeu a visão quando ainda era bebê, devido a uma retinose pigmentar. Os irmãos, que desenvolveram a mesma doença, lhe apresentaram o goalball.

A porta-bandeira dos últimos Jogos Parapan-Americanos, em Toronto, no Canadá, foi a multimedalhista paralímpica do atletismo Terezinha Guilhermina. Igualmente vencedor de diversos títulos, o nadador Andre Brasil foi o escolhido nos Jogos de Guadalajara-2011, no México. Dono da posição em Lima, Leomon integrou a Seleção Brasileira campeã dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto-2015 e liderou a equipe no bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016 e na prata nos Jogos de Londres-2012. No extenso currículo do craque brasileiro, ainda constam dois títulos mundiais da modalidade: na Finlândia, em 2014, e na Suécia, em 2018.

109 medalhas

Total de conquistas de ouro do Brasil nos Jogos Parapan-Americanos de 2015. O país liderou a competição

“É uma grande responsabilidade representar 337 atletas. Também é muito importante para o goalball, que cresce 
no mundo”
Leomon Moreno,  jogador de goalball
 

Meta de superar campanha anterior

 
Para Leomon, há espaço para ajudar o Brasil a bater a meta de ultrapassar a quantidade de ouros conquistados no Parapan de Toronto-2015, quando o país subiu 109 vezes ao lugar mais alto do pódio. A expectativa alta se deve também ao número recorde da delegação, que levou 337 atletas e acompanhantes, entre atletas-guia, calheiros e pilotos. Leomon é um dos 13 representantes do Distrito Federal no Parapan de Lima. “Toda minha família e meus amigos moram em Brasília. Vou tentar representar a nossa cidade da melhor forma, buscando esse ouro”, avisou o brasiliense.

Já em clima de festa, a notícia de que Leomon seria o porta-bandeira brasileiro chegou como um presente de aniversário atrasado ao jogador que completou 26 anos no dia anterior ao anúncio. “Foi um presente de aniversário mais do que especial”, comemorou. Apesar das comemorações se estenderem por hoje, em meio à festa que os brasileiros prometem fazer, o dia do aniversário mesmo teve direito a bolinho comprado na Vila Olímpica pelos colegas de Seleção e a um vídeo com mensagem da família e da noiva. “Foi muito especial e muito inspirador para essa competição”, disse. (MN) 
 

Vaga na canoagem

Luís Carlos Cardoso, Debora Raiza Ribeiro e Caio Ribeiro garantiram vagas para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 pelos desempenhos obtidos no Campeonato Mundial de Paracanoagem, em Szeged, na Hungria. Luís conquistou a medalha de ouro no VL2 200m, Caio levou a prata na disputa do VL3 200m e Debora ficou em quarto lugar no VL2 200m. “É uma felicidade imensa poder sentir esse gostinho de estar em Tóquio. Pela segunda vez, eu representarei meu país nas paralimpíadas. Para chegar até aqui foi necessário muita dedicação para melhorar cada vez mais e evoluir”, disse Luís Carlos, tricampeão mundial na prova de canoa.
 
 
Na TV
 
Cerimônia de Abertura dos Jogos Parapan-Americanos de Lima-2019
21h - SporTV 2

*A repórter viajou a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro