Cruzeiro

CRUZEIRO

Mazzuco explica por que situação do Cruzeiro é pior que a do Santos

Profissional deixou a Raposa e assinou com o Peixe

postado em 02/06/2021 13:10 / atualizado em 02/06/2021 13:43

(Foto: Ivan Storti / Santos FC)

Cruzeiro e Santos vivem momentos financeiros delicados. Apesar disso, o clube celeste está em situação ainda mais periclitante. O executivo de futebol André Mazzuco, que trabalhou na Raposa e agora foi contratado pelo Peixe, disse que o clube celeste está ainda pior porque não conseguiu subir para a Série A do Campeonato Brasileiro no ano passado.

"A situação do Cruzeiro é complicada justamente por aquilo que o clube passou, que foi uma queda da Série A para a Série B e de ficar um ano seguido na Série B, por não conquistar o acesso. O Santos vem de um momento em que os resultados recentes não foram satisfatórios e dificuldades financeiras. Por isso, todo o cuidado nesse processo de reestruturação", disse.

O dirigente destacou a importância da base para times sem dinheiro para investir, casos de Santos e Cruzeiro. Enquanto o clube paulista consegue revelar e aproveitar seus valores, a Raposa tem dificuldade em fazer suas promessas vingarem.

"O Santos é um clube que tem na sua história e no seu trabalho uma facilidade de implementar processos nas categorias de base, de promover garotos ao elenco profissional. A nossa média de idade é de 24.6 anos, que é uma média baixa. Temos atletas interessantes que vão ajudar justamente nesse momento em que o clube passa por essa dificuldade econômica", disse o dirigente.

Na Série B, o Cruzeiro perde muito sem o dinheiro da TV. Ao cair, o clube tem que escolher entre um valor fixo da Segundona (cerca de R$ 8 milhões) ou ficar com a fatia a que tem direito no pay-per-view, valor que varia de acordo com o número de assinantes. Na Primeira Divisão, seria no mínimo R$ 65 milhões nos cofres celestes apenas no ano passado.

O Cruzeiro ainda enfrenta vários problemas na Justiça do Trabalho e em cobranças na Fifa. A dívida da Raposa gira em torno de R$ 921 milhões, muito maior que a do Santos (R$ 539,7 milhões). Parte desse rombo teve origem na administração de ex-gestores do clube (Wagner Pires de Sá, Itair Machado e Sérgio Nonato) que são réus na Justiça por possíveis crimes contra o clube.


Tags: santos