UAI


Diego Tardelli registra B.O., e Polícia de Santos instaura inquérito

Atacante foi alvo de ataque de vândalos após queda na Copa do Brasil

15/09/2021 23:15 / atualizado em 15/09/2021 23:33
compartilhe
Vitima de ataque de vândalos em via pública, Diego Tardelli registrou B.O. na Polícia de Santos
foto: Reprodução/Instagram

Vitima de ataque de vândalos em via pública, Diego Tardelli registrou B.O. na Polícia de Santos

O atacante Diego Tardelli registrou um Boletim de Ocorrência na tarde desta quarta-feira, no 2º Distrito Policial de Santos, após o ataque sofrido na noite dessa terça, minutos depois da eliminação do Peixe para o Athletico na Copa do Brasil, com a derrota por 1 a 0 na Vila Belmiro. O jogador teve o carro depredado por um grupo de torcedores, indignados com a queda em casa.

Em depoimento, Diego Tardelli oficializou o que relatou nas redes sociais: estava a caminho do hotel do bairro do Gonzaga quando foi fechado por dois veículos no semáforo e teve o carro depredado. O atacante sofreu ameaças antes de conseguir sair e chegar no seu destino.



"Informa a vitima Diego Tardelli Martins que nesta madrugada conduzia o veículo X, de placa X, pela avenida Bernardino de Campos (canal 2) sentido praia, logo após o término do jogo entre Santos e Atlético Paranaense, quando se apercebera que se encontrava sendo seguido por dois veículos um de cor preta e outro de cor branca, não sabendo especificar as marcas, quando já na altura da rua Floriano Peixoto com a praça Independência fora fechado pelo veículos que o seguiam, sendo que daqueles veículos desceram vários elementos que passaram a chutar e bater em seu carro, sendo que a vitima permanecera no interior do veiculo, ocasião em que percebera um espaço para se evadir preservando a integridade daqueles agressores, e por fim obtendo êxito em sair daquele local. Que reitera que por ocasião dos fatos permanecera no interior do veiculo não sofrendo qualquer lesão física sendo que os danos foram materiais em seu veiculo. Que referida abordagem fora em razão da desclassificação do time santista e ao certo tal prática criminosa fora levada a efeito por elementos torcedores agressivos. Expedida requisição para perícia do veiculo da vitima. RDO encaminhado ao setor de investigações e para Inquérito Policial", relata o boletim.

O caso foi registrado como dano, constrangimento ilegal, ameaça, associação criminosa e promoção de tumulto. Foi solicitada a perícia do veículo de Tardelli ao Instituto de Criminalística e o inquérito foi aberto para investigação e identificação dos vândalos.

Por meio das redes sociais, Diego Tardelli fez o seguinte relato:

"Fomos eliminados, infelizmente. Todos tristes, chateados, mas eu quero contar uma cena de terror que passei na minha vida e jamais imaginaria que fosse passar por isso. Estava chegando próximo ao hotel e acredito que três ou quatro carros me seguiam. Parei no sinal, me fecharam e começaram a quebrar meu carro, chutar, amassar, dizer que eu ia morrer. Aquela tortura que fazem quando as coisas não vão bem. Fiquei triste e chateado. Contando alto, 10 pessoas, 10 torcedores, 10 vândalos. Torcida tem direito de cobrar, fase não é das melhores, mas isso não justifica o que eu passei. Primeira vez em 15, 20 anos de carreira. É muito triste passar por isso", disse Tardelli.

"A torcida pode ir no CT, em qualquer lugar cobrar, xingar, mas agredir, quebrar carro e tacar o terror não cabe mais no futebol. Não vai haver punição. Poderia ter acontecido qualquer coisa comigo. Sorte que encontrei um policial no caminho ao hotel e me escoltou até a porta. Eu estou bem, gente. Aqui no hotel já, no meu quarto. Vou descansar para o treino de amanhã. Mas fica minha indignação. Não esperava esse tipo de reação da torcida. Estamos cansados e sabemos que alguns fazem isso quando as coisas não vão bem. Os meia dúzia que não representam a torcida do Santos e outros clubes", completou.

Compartilhe