SELEÇÃO BRASILEIRA

Técnico Dunga usa sua trajetória para preparar Seleção Brasileira para a Copa de 2018

Treinador foi símbolo da derrota em 1994 e deu a volta por cima em 1994

postado em 15/11/2014 11:23 / atualizado em 15/11/2014 11:28

Rafael Ribeiro / CBF


O treinador Dunga usa sua história pessoal como jogador da Seleção Brasileira para reconstruir um time ainda abalado pelo maior vexame da história do futebol brasileiro. Segundo os jogadores, o técnico tem mostrado em conversas e discursos como ele foi um dos jogadores "mais massacrados" do Brasil em 1990 e como, quatro anos depois, levantou a taça da Copa do Mundo.

"Dunga passou a história dele, de como ele sofreu para nós", contou Oscar. "Ele sofreu muito e depois conquistou a Copa de 1994 e insiste que isso também pode ocorrer conosco", disse o meia do Chelsea.

A campanha do Brasil na Copa de 1990 foi uma das piores da história, com a Seleção eliminada nas oitavas de final contra a Argentina. Dunga passou a ser o símbolo daquela derrota. Mas, em 1994, tornou-se o capitão do tetracampeonato.

Fernandinho também se inspira na trajetória de Dunga. "Ele foi o jogador mais massacrado da seleção e deu a volta por cima", declarou o volante. "Ele mostrou sua força. Não tem porque pensar que isso não pode ocorrer conosco na Copa de 2018", afirmou.

Assim como o volante do Manchester City, o zagueiro Marquinhos se apega à trajetória do treinador para sonhar com o título em 2018, na Rússia. "Essa é uma história que Dunga gosta de citar. Podemos ter a mesma história", apostou o defensor do Paris Saint-Germain.

Fernandinho, Oscar e Marquinhos estão concentrados com a Seleção em Viena, onde o Brasil vai enfrentar a Áustria, na próxima terça-feira, no último amistoso da equipe neste ano.

Tags: copa2014 futinternacional futnacional brasil selecao selefut dunga