'Grande decepção', lamenta Bruno Soares por ter que ficar fora da Olimpíada

Apendicite durante voo ao Japão tirou tenista mineiro da competição

22/07/2021 09:18 / atualizado em 22/07/2021 15:49
compartilhe
Bruno Soares estava programado para jogar ao lado do também mineiro Marcelo Melo
foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Bruno Soares estava programado para jogar ao lado do também mineiro Marcelo Melo


Os últimos dias não foram nada fáceis para Bruno Soares. O tenista mineiro, de 39 anos, era esperança de medalha, mas precisou desistir de participar dos Jogos Olímpicos por conta de uma apendicite.
 
"Obviamente é uma grande decepção. Dentro de todos os dias do ano que essa apendicite poderia ter aparecido, ela aconteceu no pior momento. E é uma coisa que a gente tem zero controle", disse.
 
As dores começaram no avião durante o voo a Tóquio. Ao chegar à capital japonesa, o tenista - que faria dupla com o também mineiro Marcelo Melo - foi submetido a exames e descobriu que precisaria passar por uma cirurgia. O procedimento foi realizado nessa quarta-feira, num hospital da capital japonesa.
 
"Se fosse uma lesão a gente poderia fazer algo e tentar jogar na raça, mas apêndice não tem jeito. Envolve risco de vida se piorar, então realmente não tinha outra decisão além de operar. Estou super triste de não poder competir, mas feliz que tudo ocorreu bem", disse.
 
Bruno também relatou o drama vivido na longa viagem ao Japão, quando as dores começaram. "Comecei a sentir um incômodo na barriga durante a conexão em Houston. E aí de Houston para Tóquio foi muito ruim, uma dor absurda. Vomitei duas vezes durante o voo e a dor simplesmente não passava", contou.
 
Bruno Soares estava programado para jogar ao lado do também mineiro Marcelo Melo. Com a desistência, Melo passará a jogar com o gaúcho Marcelo Demoliner. Esta seria a terceira edição de Jogos Olímpicos na carreira de Soares, que fez quartas de final em 2012 e 2016, ambas ao lado de Melo.
 
"Quando pousamos no Japão precisávamos passar por todo um protocolo no aeroporto. Essas horas foram muito complicadas, eu estava muito tonto e com muita dor. Fizeram uma avaliação geral e teve uma suspeita de apendicite, então fizemos todos os exames e concluímos que era isso mesmo. Começamos com um tratamento paliativo para ver como eu reagia, mas no outro dia de manhã tomamos a decisão de que seria melhor operar, realmente não tinha escapatória", completou.
 
Com a desistência de Bruno Soares, Marcelo Melo passará a jogar com o gaúcho Marcelo Demoliner. Esta seria a terceira edição de Jogos Olímpicos na carreira de Soares, que fez quartas de final em 2012 e 2016, ambas ao lado de Melo.
 
Leia o relato de Bruno Soares:
 
"Comecei a sentir um incômodo na barriga durante a conexão em Houston. E aí de Houston para Tóquio foi muito ruim, uma dor absurda. Vomitei duas vezes durante o voo e a dor simplesmente não passava. Quando pousamos no Japão precisávamos passar por todo um protocolo no aeroporto. Essas horas foram muito complicadas, eu estava muito tonto e com muita dor.
 
Começou a melhorar quando cheguei na Vila Olímpica. Toda a equipe médica estava me esperando e me medicaram na hora. Isso já era tarde da noite da segunda-feira. Fui dormir e já estava um pouco melhor no dia seguinte. Aí fizeram uma avaliação geral e teve uma suspeita de apendicite, então fizemos todos os exames e concluímos que era isso mesmo. Começamos com um tratamento paliativo para ver como eu reagia, mas no outro dia de manhã tomamos a decisão de que seria melhor operar, realmente não tinha escapatória.
 
Obviamente é uma grande decepção. Dentro de todos os dias do ano que essa apendicite poderia ter aparecido, ela aconteceu no pior momento. E é uma coisa que a gente tem zero controle. Se fosse uma lesão a gente poderia fazer algo e tentar jogar na raça, mas apêndice não tem jeito. Envolve risco de vida se piorar, então realmente não tinha outra decisão além de operar. Estou super triste de não poder competir, mas feliz que tudo ocorreu bem. Fui muito bem assessorado pela CBT, pelo Time Brasil e também pelos Jogos Olímpicos. Acredito que serão de duas a três semanas de recuperação, então vou ficar por aqui uns dias para me recuperar e poder viajar, já que a viagem de volta é longa e cansativa. Daqui a pouco vou ter alta e agora é me recuperar."

Compartilhe