'Praia feia'? Cenário 'não Instagramável' salvou surfe nos Jogos Olímpicos

Tsurigasaki Surfing Beach fica a duas horas de Tóquio e, apesar da preocupação inicial sobre as ondas, contou com tufão para melhorar as condições dos surfistas

Praia japonesa tem chamado a atenção dos brasileiros que acompanham o surfe
foto: João Vitor Marques/EM/DA Press

Praia japonesa tem chamado a atenção dos brasileiros que acompanham o surfe

A mais de 100km da capital Tóquio, a Tsurigasaki Beach, em Chiba - local escolhido para a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos -, tem sido criticada por brasileiros nas redes sociais. O mar escuro e o céu repleto de nuvens torna a praia consideravelmente menos fotogênica. Mas, afinal, por que ela foi a eleita para receber a modalidade?

A primeira preocupação para os organizadores é que a instalação olímpica escolhida desse as mesmas condições de ondas para todos os 40 atletas envolvidos na disputa (20 homens e 20 mulheres). Por isso, chegou-se a cogitar a construção de um mar artificial em que se pudesse controlar as águas.

Porém, a ideia foi descartada, já que a intenção é evitar a construção dos chamados "elefantes brancos" - estruturas criadas para grandes eventos, mas pouco usadas nos anos seguintes. Aí entra a Tsurigasaki Surfing Beach, localizada na costa pacífica no extremo leste japonês.

O local atrai cerca de 600 mil surfistas por ano. Por isso - e pela relativa proximidade da capital -, foi escolhida como sede da modalidade. A opção por uma praia natural também foi feita por conta da cultura do surfe, da conexão com as ondas reais.

O presidente da Associação Internacional de Surfe, Fernando Aquerre, explicou que a ideia foi construir um ambiente natural de praia. "O Comitê Olímpico Internacional nos pediu para criar uma cena praiana em Chiba", disse à Surfer.com.

Mas havia muito receio em relação à qualidade das ondas em Chiba, que, no verão, costumam ser mais fracas. A "sorte" foi a chegada de um tufão no local, o que acelerou o vento e melhorou as condições do mar. Porém, deixou os cenários bastante mais cinzas e pouco 'instagramáveis'.

"Tufões são como furacões são chamados na Ásia durante o verão e o outono. Ventos de tufão são muito mais fortes do que os ventos alísios (comuns nessa época). Portanto, eles geram ondas muito maiores", explicou o oceanógrafo Sally Warner, num artigo publicado na internet.

"É uma tempestade tropical de três graus, numa escala até cinco. Então, não há o que se preocupar", tentou tranquilizar o porta-voz dos Jogos, Masa Takaya, sobre o tufão que se aproxima.

As mudanças no clima já são totalmente perceptíveis. Enquanto nos primeiros dias fez sol e calor - com temperaturas superiores a 36ºC -, agora chove fraco e venta muito na capital japonesa. Azar das câmeras e das redes sociais, sorte dos surfistas que contam com ondas melhores.

Compartilhe