Maria Suelen sai machucada; Rafael Silva enfrenta Riner na repescagem

Brasileira deixou tatame de maca com suspeita de lesão no joelho

30/07/2021 01:33 / atualizado em 30/07/2021 03:27
compartilhe
Maria Suelen começou bem contra eslovena, mas sofreu lesão em derrota para francesa
foto: Jack Guez/AFP

Maria Suelen começou bem contra eslovena, mas sofreu lesão em derrota para francesa

O Brasil não conseguiu avançar às semifinais do judô nos Jogos Olímpicos de Tóquio na madrugada desta sexta-feira (horário de Brasília). Nas quartas de final, Maria Suelen Altheman foi derrotada pela francesa Romane Dicko por ippon e Rafael Silva, o Baby, ficou pelo caminho ao levar três punições contra o georgiano Guram Tushishvili por falta de combatividade.

Maria Suelen teria chance de buscar o bronze, mas saiu do combate machucada e não terá condições de lutar na repescagem. Ela deixou a luta com muitas dores e saiu de maca do tatame. Os médicos da seleção brasileira avaliaram a condição da brasileira e, após a primeira avaliação, constataram que a judoca não voltará ao tatame nesta madrugada.

"Maria Suelen Altheman sentiu lesão no joelho esquerdo durante o combate de quartas de final contra a Romane Dicko e, após avaliação do departamento médico da seleção, não terá condições de lutar a repescagem", informou a Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

Maria Suelen irá ao hospital para ser submetida a exames nesta sexta. Existe uma suspeita de rompimento ligamentar do joelho. Com isso, a possibilidade de competir na competição por equipes é também mínima.

Rafael Silva, por sua vez, terá um páreo duríssimo em busca do bronze. Ele enfrentará na repescagem o decacampeão mundial e bicampeão olímpico Teddy Riner. O francês, considerado uma lenda do judô mundial e que ficou invicto durante dez anos, foi derrotado nas quartas pelo russo Tamerlam Bashaev, após sofrer um golpe no golden score.

Em busca de sua terceira medalha olímpica, Rafael Silva, o Baby, começou sua trajetória na Olimpíada de Tóquio com vitória sobre Ushangi Kokauri, do Azerbaijão, por ippon no golden score. O brasileiro, cabeça de chave número 5 em Tóquio, ficou perto de ser derrotado na prorrogação ao levar mais uma punição. No entanto, encaixou um belo golpe para vencer o combate.

Rafael Silva tem dois bronzes no currículo, conquistados em Londres-2012 e no Rio-2016. Por isso, se colocar mais uma medalha em seu peito em Tóquio, vai igualar Mayra Aguiar como os judocas brasileiros com mais pódios em Jogos Olímpicos. Baby também ostenta as medalhas de prata (2013) e bronze (2014 e 2017) em Mundiais.

Na estreia em Tóquio, Maria Suelen havia derrotado a eslovena Anamari Velensek sem dar chance para a adversária. Uma das cabeças de chave do evento, a brasileira derrubou a oponente, mas os árbitros não anotaram ponto. No minuto final, contudo, a judoca da Eslovênia foi punida por tirar a cabeça enquanto a brasileira tentava um golpe e acabou eliminada.

Maria Suelen compete em sua terceira Olimpíada e busca sua primeira medalha. Em Londres-2012 ficou em quinto lugar, enquanto na Rio-2016 terminou na nona posição. No Campeonato Mundial, disputado em Budapeste, na Hungria, em junho passado, ela levou o bronze.

Este é o último dia de competições individuais do judô. Nas categorias anteriores, o Brasil faturou dois bronzes, com Daniel Cargnin (até 66kg) e Mayra Aguiar (até 78kg). No fim da noite desta sexta (horário de Brasília) acontece a disputa por equipes, novidade no programa olímpico.

Compartilhe