UAI

2

Atacante Gio Queiroz denuncia Barcelona por assédio moral e psicológico

Jogadora afirma que foi assediada após optar por vestir a camisa da Seleção Brasileira ao invés da espanhola

29/03/2022 14:11 / atualizado em 29/03/2022 14:24
compartilhe
Gio Queiroz optou por defender a Seleção Brasileira ao invés de outros países
foto: Barcelona/Divulgação

Gio Queiroz optou por defender a Seleção Brasileira ao invés de outros países


A jogadora brasileira Gio Queiroz, do Levante (Espanha), denunciou nesta terça-feira em carta aberta nas redes sociais que sofria assédio moral e psicológico quando defendia o Barcelona. Na mensagem, dirigida ao presidente do Barça, Joan Laporta, a brasileira afirma que sua denúncia foi enviada à diretoria do clube e que "os responsáveis pelas condutas abusivas estão perfeitamente identificados".
 
 

Gio Queiroz, que chegou ao Barcelona em julho de 2020 aos 17 anos, conta que foi bem recebida no início, mas tudo mudou quando foi convocada pela primeira vez para a Seleção brasileira. A atacante afirma que recebeu "indicações" de que defender a Seleção não seria o melhor para seu futuro no clube e que a situação foi se agravando com o tempo.

"Estavam me encurralando de maneira abusiva para que desistisse de defender a Seleção Brasileira. Utilizaram-se de métodos arbitrários com o objetivo de prejudicar minha vida profissional dentro do clube", disse a jogadora na carta.

Gio Queiroz acusou a chefe do departamento médico do Barcelona de submetê-la a um "confinamento ilegal", afirmando que ela teve contato próximo com uma pessoa que testou positivo para Covid-19 em fevereiro de 2021.

"Desde o início, eu sentia que os verdadeiros motivo do confinamento eram outros", acrescentou a brasileira, que explicou que procurou o Departamento de Saúde da Catalunha para esclarecer que seu caso não poderia ser tratado de tal forma.

"Ao final, me trancaram ilegalmente e não pude sair de casa. Não podia treinar e nem ter uma rotina normal. Estava devastada".

Ao sair dessa "quarentena imposta", ela conta que foi autorizada pela Fifa a defender o Brasil nos Estados Unidos com pleno conhecimento do clube. Mas quando voltou à Espanha, foi "acusada de ter cometido uma grave indisciplina e que, por isso, seria afastada do time e sofreria graves consequências".

"A partir desse momento, minha vida mudou para sempre. Fui completamente exposta a situações humilhantes e vergonhosas durante meses dentro do clube", acrescentou.

O Barcelona afirma que Gio viajou para se juntar à Seleção sem cumprir totalmente a quarentena.

Fontes do clube afirmaram à AFP que a jogadora já tinha apresentado uma denúncia ao departamento de 'compliance', que concluiu que ela descumpriu normas.

Segundo as mesmas fontes, Gio Queiroz também levou a denúncia à Fifa, que também teria dado razão ao Barcelona.

Compartilhe