América: Alencar descarta mudanças no futebol e rebate críticas da torcida

Organizadas do Coelho pediram a saída do presidente do clube e do diretor de futebol Armando Dessessards

11/06/2021 12:11 / atualizado em 11/06/2021 12:19
compartilhe
Alencar garantiu que não fará mudanças na estrutura hierárquica do futebol
foto: Reprodução/Instagram

Alencar garantiu que não fará mudanças na estrutura hierárquica do futebol

Após ser fortemente criticado nas redes sociais, o presidente do América, Alencar da Silveira Júnior, afirmou que não fará mudanças na direção de futebol do clube e rebateu manifestações postadas por organizadas. Nessa quinta-feira, as torcidas Seita Verde e Barra UNA pediram a saída do dirigente e do diretor de futebol Armando Dessessards.
 
A revolta da torcida se ampliou com a eliminação nos pênaltis para o Criciúma na quarta-feira, na terceira fase da Copa do Brasil. Antes dessa partida, o Coelho estava havia cinco jogos sem marcar gols. Além disso, com o resultado, chegou à marca de seis duelos sem vitória (a equipe perdeu nas duas rodadas disputadas no Brasileiro). Essa é a maior sequência sem triunfos desde a chegada do técnico Lisca. 
 
Em áudio enviado à reportagem do Superesportes, Alencar garantiu que não fará mudanças na estrutura hierárquica do futebol e garantiu as permanências de Euler Araújo, membro do Conselho de Administração, e de Marcus Salum, coordenador de futebol clube-empresa do América.
 
“Com todo respeito à rede social. Eu respeito todo torcedor, respeito a torcida americana. Entendo que o América pegou pedreira nesse início. Sei que precisamos melhorar, mas a responsabilidade do futebol é minha, e fui eu que convidei o Salum para voltar. O Euler tem toda autonomia para administrar o futebol. Vou deixar claro para toda a torcida: nós não vamos mexer no futebol. Ele vai continuar sendo coordenado pelo Marcus Salum. Eu não mudo a coordenação do futebol. Marcus Salum e Euler têm autorização e a confiança do presidente e do conselho administrativo para admitir e para demitir qualquer um no âmbito do futebol”, declarou, sem citar Armando Dessessards.

Ainda de acordo com o presidente, o clube convidou José Flávio Lanna Drumond para ajudar no departamento de base comandado por Fred Cascardo.

“Também estamos trazendo para a base... convidamos o José Flávio, que já trabalhou na base do América, que está voltando para supervisionar, somar”, disse o dirigente. 
 
O presidente do Coelho ainda ressaltou que nenhum conselheiro do clube é remunerado e que estão ali por amor à camisa. Logo, deveria haver mais compreensão por parte do torcedor.
 
“Eu quero lembrar que não tem um conselheiro do América, um diretor, que recebe salário. A gente faz porque vestimos a camisa e gostamos da camisa. Nós precisamos e temos a convicção que (o cenário) vai melhorar. Temos que melhorar. Temos uma pedreira contra o Flamengo e vamos entrar com dignidade, vamos jogar. Não tem crise no América”, conta Alencar.
 
Críticas nas redes sociais
 
No Twitter, as organizadas Seita Verde e Barra UNA fizeram duras críticas e pediram mudanças na direção, além da saída de Alencar e a contratação de reforços para a sequência da Série A. Segundo as organizadas, os dirigentes ‘menosprezam a história do clube’. 
 
“Estamos cansando desses idiotas que se passam por cartolas e profissionais do futebol, quando, na verdade, não entendem p... nenhuma e menosprezam a história do América Futebol Clube. No América não tem mais espaço para essas pessoas, e agora vai ser chuva de pressão! Fora todos vocês que não entendem a grandeza e a responsabilidade de gerir um cargo desta responsabilidade dentro do América! Queremos AMERICANOS no clube”, diz a publicação.
 
No mesmo áudio enviado à reportagem, Alencar rebateu as organizadas e afirmou que, antes de ser dirigente, é também um torcedor. Ele ainda questionou a relevância de alguns movimentos contrários à sua gestão. 
 
“Quando você vai ver, tem 24 torcedores que estão no grupo. Essa UNA aí, a ‘massa americana’, tem 20 membros, 22 membros, né. O pessoal da Seita já tirou da reta. ‘Ah, que não falaram isso’. Eu respeito todos os torcedores, afinal de contas, ao lado do Quiqui e do Braulinho, há quase 30 anos, nós fundamos a Coelho Mania. Então, eu venho da arquibancada, da torcida organizada, por isso eu respeito todos. Antes de ser dirigente eu fui torcedor”, argumentou.

“Eu respeito a rede social, eu respeito as postagens, não escondo de conversar com toda a torcida. Da mesma forma que eu sou dirigente, sou torcedor. E como torcedor também estou cobrando. O pessoal que deixou a direção do América no passado também cobra. Nós cobramos de nós mesmos. Nós, americanos, trabalhamos para um América cada vez melhor. E o objetivo nesse ano é a permanência na Série A e isso vai acontecer porque trabalho não vai faltar”, finalizou o presidente.

Compartilhe