Rival do América no Brasileirão, Sport convive com crise técnica e política

Equipes se enfrentarão na próxima segunda-feira (19), às 20h, no estádio Independência, em BH, pela 12ª rodada

15/07/2021 07:00 / atualizado em 15/07/2021 09:37
compartilhe
Sport é o 17º colocado da Série A, com sete pontos
foto: Divulgação/Sport

Sport é o 17º colocado da Série A, com sete pontos

 
Próximo adversário do América no Campeonato Brasileiro, o Sport vive dias decisivos para o futuro do clube na temporada. Em crise técnica, econômica e política, o Leão da Ilha enfrenta vários problemas extracampo, que afetam o desempenho dos jogadores dentro dele. Como resultado desse momento conturbado, o time está na zona de rebaixamento da Série A.
O Rubro-Negro vive seu pior início de Brasileirão da história. Em 11 jogos, o Leão só ganhou uma partida e empatou outras quatro - é o 17º colocado na tabela de classificação, com sete pontos conquistados. A cada rodada, o trabalho do técnico Umberto Louzer vem sendo ainda mais questionado pela torcida. 

Com uma sequência de sete jogos sem vencer, a equipe pernambucana não demonstra sinais de recuperação na competição nacional. O único triunfo foi diante do Grêmio, no dia 17 de junho, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada. Na ocasião, o lateral-esquerdo Sander marcou o gol da vitória por 1 a 0.  

Fora das quatro linhas, o Leão também passa por um momento delicado. No mês passado, Milton Bivar e Carlos Frederico renunciaram aos cargos de presidente e vice, respectivamente. Desde então, o Sport é comandado pelo presidente interino Pedro Leonardo Lacerda. 

Um novo pleito para definir quem comandará o clube até o final de 2022 está marcado para esta quinta-feira. Os candidatos, por sua vez, serão Leonardo Lopes, da chapa 'Sport na Raça', e José Valadares, da 'Coragem e Honestidade, o Melhor para o Sport'. Esta será a segunda eleição em três meses. 

Além da 'briga' pelo comando, o Sport convive com dois meses de salários atrasados. Recentemente, Lacerda afirmou ter quitado os vencimentos referentes a abril, mas viu alguns atletas do elenco desmentirem a informação. Na saída de campo, após o empate por 1 a 1 com o Atlético-GO, na décima rodada, o atacante André falou que apenas uma parte do pagamento foi realizado. Os meses de maio e junho também não foram pagos. 

Ações na Justiça


Além de todos os problemas extracampo, o Sport ainda responde por duas ações na Justiça, com pedido de rescisão de contrato, por pendências salariais. Os processos são movidos pelo lateral-direito Patric e pelo volante Carlos Rentería. 

Patric cobra do Rubro-Negro dois meses de salários atrasados, quatro de imagem, 13º e FGTS. Já Rentería alega o não recebimento de três meses de salários e luvas, além do FGTS. 

Sport e América se enfrentarão na próxima segunda-feira (19), às 20h, no estádio Independência, em Belo Horizonte. O confronto é válido pela 12ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

Opinião


O Superesportes ouviu Yuri Teixeira, repórter da Folha de Pernambuco, sobre o momento do adversário do Coelho no Brasileirão. Em sua avaliação, a equipe pernambucana tem sérios problemas no setor de criação. 

"O ataque vem deixando a desejar. O Sport reforçou bem o setor, que foi um calo na temporada passada. Porém, nesta Série A, o Rubro-Negro só marcou mais gols que o Grêmio (seis contra quatro). Muito disso se deve ao fato da equipe ter um meio de campo lento, sem boa transição entre a defesa e o ataque. Além disso, Thiago Neves se desgasta muito na marcação e já não consegue entregar ofensivamente o que dele se espera, como foi na última temporada", opinou.

Defensivamente, na visão de Teixeira, o Leão está em um nível razoável em relação às outras equipes. O Sport tem a sétima melhor defesa da competição, com 11 gols sofridos.

"A defesa está longe de ser a pior coisa do Sport nesta Série A. Rafael Thyere e Sabino formam uma dupla segura, e Maílson não vem comprometendo sob a meta leonina. Nas laterais, Hayner tem muita força ofensiva, mas deixa a desejar na marcação. Substituto de Sander na esquerda, Júnior Tavares também não vem agradando desde que o titular se lesionou nas vésperas do jogo com o Corinthians. Defensivamente falando, Sander entrega mais que o companheiro", finalizou.

Compartilhe