Médico do América detalha situação de Eduardo, que está com tumor ósseo

Lateral-direito enfrentou o mesmo problema em 2019, quando defendia a Chapecoense

23/09/2021 17:00
compartilhe
Eduardo não defende o América desde 19 de julho de 2021, quando jogou em duelo contra o Sport pelo Campeonato Brasileiro
foto: Mourão Panda/América

Eduardo não defende o América desde 19 de julho de 2021, quando jogou em duelo contra o Sport pelo Campeonato Brasileiro


O Dr. Cimar Eustáquio, médico do América , detalhou, nesta quinta-feira (23), a situação do lateral-direito Eduardo , que teve tumor ósseo diagnosticado na região da tíbia nos últimos dias - problema que sofreu quando defendia a Chapecoense, em 2019. Leia, na íntegra, o pronunciamento do departamento médico do Coelho.

Palavra do departamento médico - Dr. Cimar Eustáquio


" O Eduardo foi examinado por mim, no exame admissional no América, em abril de 2021. Realmente, o exame físico dele não demonstrava nada de especial e nenhum comentário tão enfático sobre o caso que ele veio a ter na perna. Ele foi examinado e iniciou os treinamentos normalmente.

Num jogo em que eu estava como médico de campo, ele apresentou uma dor muito intensa ao nível da tíbia esquerda, que me chamou atenção sobremaneira. Então, conversei com ele e ele me colocou que tinha feito um tratamento na perna, de uma lesão benigna ao nível do osso, mas que estava sob controle - inclusive, com uma oncologista em São Paulo.

De imediato, solicitamos a tomografia dele, ressonância magnética, estudo radiológico, que confirmou uma lesão semelhante - muito sugestiva de uma fratura por estresse mais antiga ou uma fratura por algum outro motivo, parcial. Com isso, o retiramos de todas as atividades e fizemos contato, imediatamente, com a médica que o acompanhava. Nos colocou a situação de uma forma geral e assumiu o caso.

Pedimos a ela, então, que fizesse uma indicação de um médico da área dela para que pudesse acompanhar o caso e nos dar uma posição correta. Se era a recidiva da lesão, apesar de benigna, ou se era, na verdade, também, uma fratura por estresse - que seria uma coisa diferente, mas ainda crônica.

Isso foi realizado dentro dos padrões normais. Os primeiros dias de repouso - três semanas, aproximadamente. Depois disso, sob os cuidados dos médicos especialistas de Oncologia, ficou no América fazendo os tratamentos indicados até realizar uma biópsia indicada por eles. Bem especializada, bem específica.

Ele realizou essa biópsia, cujo resultado veio na semana passada, e nós entramos em contato novamente com o oncologista dele, que falou que realmente é uma recidiva do quadro dele - do tumor benigno que ele tinha antigamente. Iam protocolar um tratamento para ele, mas que precisava de alguns exames e algumas condutas especiais da área.

Colocamos isso para ele e para a médica dele. Estamos em contato para a gente observar qual caminho a seguir para o tratamento com os especialistas, que não é o caso nosso. Na verdade também, o Eduardo foi submetido à biópsia. O que a biópsia especializada na área de Oncologia? Eles têm agulhas especiais, material especial, pontos especiais, dentro da lesão pré-estabelecida, com diagnóstico anterior. Fizeram a biópsia - não é uma cirurgia - para confirmar se seria a lesão primária dele ou se seria uma fratura por estresse.

Ele está em contato com a médica e o grupo que o acompanha para ver qual caminho tomar, qual o tratamento indicado. Depois, nos dará uma resposta de imediato. Parece que farão novos exames dele para ver realmente a lesão no osso, em que estágio está, qual conduta tomar em termos de tratamento. Não é um quadro ligado ao América.

A gente só queria ter certeza se era uma fratura por estresse ou se era uma fratura por causa do tumor. Por isso, o América deu todo suporte, pediu todos os exames necessários e ficou na mão do especialista da área fazer a biópsia. Até que nos surgiu o resultado. O Eduardo foi muito correto com a gente, colocou tudo. A gente conversou tudo com muita clareza. Estamos esperando os resultados. De agora em diante, ele está realmente sob os cuidados desses colegas que já o acompanham há algum tempo para observar qual o tratamento indicado e qual é a previsão para recuperação" .
 

Tumor ósseo


O anúncio foi feito pelo jogador em seu perfil no Instagram. Na mensagem, ele tratou o processo como "mais uma luta difícil na vida" e se apegou à fé em Deus para se livrar da enfermidade.

"Após dois meses de espera, infelizmente as notícias não são boas. Mais uma vez terei que travar mais uma luta muito difícil em minha vida. Em 2019 fui diagnosticado com um tumor ósseo! E nos últimos dias fiz uma biópsia e infelizmente tive a notícia que o tumor voltou e terei que me manter forte e firme, pois passar por tudo isso novamente não vai ser fácil. Mas vou conseguir, com muita fé no eterno Elohim e muita dedicação voltarei mais forte do que nunca!".

Eduardo não atua desde 19 de julho de 2021, quando foi substituído por Diego Ferreira no intervalo da partida contra o Sport, no Independência, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ele deixou a partida em decorrência de uma pancada na tíbia. O time rubro-negro marcou o gol da vitória aos 41 minutos do segundo tempo com o atacante Paulinho Moccelin.

Em maio de 2019, Eduardo precisou passar por cirurgia para a retirada de um osteoma osteoide na canela esquerda. O procedimento foi feito por meio de radiofrequência, sem a necessidade de abertura para a retirada de osso. Na ocasião, o jogador se assustou com a notícia, porém o médico lhe tranquilizou ao afirmar que se tratava de um caso simples.

Conforme artigo da Revista Brasileira de Ortopedia, o osteoma osteoide é "um tumor ósseo primário benigno que acomete mais o sexo masculino na segunda e terceira décadas da vida". O tratamento cirúrgico é indicado em razão da intensidade da dor e da intolerância do paciente ao uso prolongado de anti-inflamatórios não hormonais.

Sem Eduardo, o técnico Vagner Mancini utilizou Diego Ferreira no empate por 1 a 1 com o Grêmio, em Porto Alegre, no dia 24 de julho, pela 13ª rodada. Depois, optou pela entrada de Patric, que havia sido contratado ao Sport. O lateral de 32 anos disputou sete jogos seguidos no Brasileirão e assumiu de vez a titularidade. O Coelho, por sua vez, colecionou bons resultados desde então: três vitórias, quatro empates e apenas uma derrota.

Compartilhe