UAI

2

América sofre virada do Tolima e se vê em situação delicada na Libertadores

Na lanterna do Grupo D, com um ponto, Coelho terá clássico contra o Atlético e dois jogos fora de casa para definir classificação na Copa Libertadores

27/04/2022 20:42 / atualizado em 28/04/2022 08:11
compartilhe
Jogadores do América ficaram desolados com virada sofrida para o Tolima já nos acréscimos: 3 a 2
foto: Ramon Lisboa/EM/DAPress

Jogadores do América ficaram desolados com virada sofrida para o Tolima já nos acréscimos: 3 a 2


O América sofreu um duro golpe na noite desta quarta-feira (27), no Estádio Independência, em Belo Horizonte. Diante do Tolima, o Coelho esteve em vantagem duas vezes, mas acabou cedendo a virada já nos acréscimos e perdeu por 3 a 2 para a equipe colombiana pela 3ª rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

No tropeço americano, Pedrinho e Hernández (contra) marcaram os gols alviverdes. As falhas defensivas do time de Vagner Mancini custaram caro e impediram que o Coelho somasse três pontos no torneio continental. Com o resultado, o América segue na lanterna do Grupo D, com um ponto, e terá o clássico contra o Atlético (em casa) e dois jogos fora (contra Tolima e del Valle) para buscar a classificação.

América 2 x 3 Tolima: fotos do jogo no Independência pela Copa Libertadores



Líderes da chave, Independiente del Valle e Atlético têm cinco pontos na tabela. A quatro de distância, o Coelho precisará quebrar um tabu de seis anos sem vitórias sobre o rival na próxima terça-feira para seguir alimentando o sonho do avanço às oitavas.

O próximo compromisso do América será diante do Athletico-PR, às 16h30 do sábado (30). A partida, válida pela 4ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, será disputada no Independência, em Belo Horizonte.

Equilíbrio inicial e pressão do Coelho


O Tolima, líder do Campeonato Colombiano, veio a Belo Horizonte com uma ideia clara de jogo: agressividade nos duelos individuais, especialmente no meio-campo, e saídas rápidas com tentativas de bolas longas nas costas da defesa do América. A estratégia funcionou parcialmente na primeira metade da etapa inicial, que teve posse de bola dividida e pouquíssimas chances de gol - também graças ao bom desempenho defensivo do Coelho.

Porém, os erros técnicos cometidos pelo time de Mancini, principalmente no terço final do campo, e as faltas duras cometidas pela equipe colombiana dificultavam os avanços do América no terreno de jogo. Até os 30 minutos, as duas melhores chegadas haviam ocorrido com arrancadas do meio-campista Juninho por dentro.

Neste momento do jogo, no entanto, uma alteração mudou o panorama: Alê, lesionado, foi substituído para a entrada de Matheusinho. Na nova configuração, Felipe Azevedo foi deslocado para jogar por dentro, como um meia-armador; Pedrinho saiu da direita para a esquerda e Matheusinho ocupou o espaço no lado direito do campo.

As movimentações do Coelho passaram a surtir mais efeito. Por dentro, Felipe Azevedo conseguia ganhar o espaço entre as linhas do Tolima e conectar, especialmente, os pontas em situações vantajosas. Com chutes perigosos de fora da área, Paulinho Boia e Matheusinho ameaçaram a meta defendida por Domínguez. 

A melhor chance do primeiro tempo, apesar disso, veio aos 40 minutos: após vacilo da defesa colombiana, Juninho aplicou belo chapéu no goleiro e finalizou, mas viu defensor adversário tirar a bola em cima da linha. Fim dos 45 minutos iniciais com placar igualado no Independência: 0 a 0.

Chuva de gols e derrota amarga


Para promover mais criatividade no segundo tempo, Vagner Mancini optou pela entrada do colombiano Índio Ramírez na vaga de Felipe Azevedo, que vinha atuando por dentro. Quem teve a primeira chegada perigosa da etapa complementar, no entanto, foi o Tolima, obrigando boa defesa de Jailson com chute de dentro da área.

Aos 8 minutos, um golaço no Independência: após linda jogada individual de Paulinho Boia pela direita, com três dribles, o habilidoso atacante cruzou rasteiro para o meio da área. Livre, Pedrinho bateu "de chapa" no canto, sem chances para Domínguez: 1 a 0.

O gol do América fez com que o Tolima se expusesse mais, em busca do empate. Os colombianos até levaram perigo com chute que passou rente ao travessão de Jailson, mas o Coelho logo retomou as rédeas. Insinuante, o time de Vagner Mancini se fazia valer da velocidade dos homens de frente para aproveitar os espaços cedidos pelo adversário na defesa.

Aos 20 minutos, no entanto, um castigo. Após lance de bola rebatida no meio-campo, Anderson Plata saiu livre nas costas da defesa do América e teve muita frieza para driblar Éder e balançar as redes de Jailson no Independência: 1 a 1.

Após o empate, o time mineiro apresentava dificuldades para criar boas chances e via o Tolima crescer ainda mais no confronto. Diante desse cenário, Mancini promoveu as entradas de Flávio e Carlos Alberto nas vagas de Lucas Kal e Paulinho Boia, respectivamente.

Aos 32 minutos, um contra-ataque fulminante. Pedrinho foi acionado na esquerda e teve muita qualidade para driblar, progredir e soltar a bola no momento exato para Índio Ramírez. O colombiano driblou dois jogadores adversários e, antes mesmo de finalizar, foi "desarmado" em bote que acabou virando gol contra no Horto: 2 a 1.

A alegria americana durou pouco. Aos 40 minutos, o Tolima voltou a buscar empate em jogada aérea. Após cabeçada no travessão, Quiñones aproveitou rebote para igualar novamente o confronto: 2 a 2.

Já nos acréscimos, Anderson Plata se valeu de contra-ataque e nova falha da defesa do Coelho para dar números finais na virada colombiana: 3 a 2.

Jogadores do América pareciam não acreditar na derrota dentro de casa
foto: Ramon Lisboa/EM/DAPress

Jogadores do América pareciam não acreditar na derrota dentro de casa



Derrota amarga para o Coelho, que se vê em situação muito delicada no Grupo D da Libertadores.

Fotos da torcida do América no Independência em jogo com o Tolima



AMÉRICA 2 x 3 TOLIMA


América

 
Jailson; Patric, Iago Maidana, Éder e João Paulo; Lucas Kal (Flávio), Juninho e Alê (Matheusinho); Felipe Azevedo (Índio Ramírez), Pedrinho e Paulinho Boia (Carlos Alberto).
Técnico: Vagner Mancini

Tolima

 
Domínguez; Marulanda, Quiñones, Caicedo e Hernández; Ríos (Orozco), Rovira (Ureña) e García (Miranda); Plata, Lucumí e Ramírez (Rangel).
Técnico: Hernán Torres
 
Motivo: 3ª rodada da fase de grupos da Copa Libertadores de América
Data: quarta-feira, 27 de abril de 2022
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte

Público: 4.651
Renda: R$ 69.720,00
 
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
Assistentes: Nicolás Taran e Carlos Barreiro (URU)
 
Gols: Pedrinho (América), aos 8min do 2°T, Hernández (contra, para o América), aos 31min do 2°T; Plata (Tolima), aos 20min do 2°T, Quiñones (Tolima), aos 42min do 2°T e Plata (Tolima), aos 49min do 2°T
Cartões amarelos: Éder, Lucas Kal (América); Rovira, Caicedo, Marulanda (Tolima)

Compartilhe