Mozart promete utilizar aprendizado na Europa em benefício do Cruzeiro

Técnico tentará adaptar suas ideias à realidade do jogador brasileiro

15/06/2021 06:00 / atualizado em 15/06/2021 08:54
compartilhe
Mozart Santos quer passar conhecimento adquirido na Europa ao grupo do Cruzeiro
foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Mozart Santos quer passar conhecimento adquirido na Europa ao grupo do Cruzeiro

Nos tempos de jogador, Mozart Santos ficou mais na Europa que no Brasil. Foram cinco temporadas no Reggina, da Itália; cinco no Spartak Moscou, da Rússia; e uma no Livorno, da Itália. Nesse período, o ex-volante se destacou pela liderança e carregou a  braçadeira de capitão. O perfil orientador o credenciou a se tornar treinador após pendurar as chuteiras. No Cruzeiro a expectativa é implantar as ideias absorvidas no Velho Continente e adaptá-las à realidade do Brasil.

“Joguei 15 anos de futebol profissional. Foram 12 anos na Europa. Minha influência é muito mais europeia do que brasileira. Porém, sou brasileiro, trabalho no Brasil, então tento adaptar minhas ideias à realidade do jogador brasileiro. Minha influência é o futebol italiano, sem dúvida, mas adaptando para o nosso país”, afirmou o técnico.

No Brasil, Mozart ganhou visibilidade no Coritiba, em 1999, e foi contratado pelo Flamengo no ano seguinte. Os cabelos loiros e cacheados se tornaram uma marca registrada do volante canhoto, chamado à Seleção Brasileira Sub-23 para a disputa dos Jogos Olímpicos de Sydney, na Austrália. A equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo - que tinha nomes como Lúcio, Alex, Roger Flores, Ronaldinho Gaúcho e Fábio Aurélio - acabou eliminada nas quartas de final por Camarões.

Após se aposentar dos gramados, Mozart começou a se preparar para ser técnico. Foram cinco anos nas categorias de base do Coritiba até chegar ao grupo principal como auxiliar. Em 2020, saiu do Coxa e aceitou convite para dirigir o CSA, tirando o time da zona de rebaixamento da Série B e brigando pelo acesso até a última rodada. Em 28 partidas, venceu 13, empatou nove e perdeu seis, com aproveitamento de mais de 57%.

No Cruzeiro, Mozart estreou no último sábado com empate por 1 a 1 diante do Goiás, no Mineirão. O time começou perdendo com gol contra de Joseph, que se atrapalhou ao recuar a bola de peito para Fábio. No decorrer do duelo, a Raposa criou boas chances e exigiu grandes defesas do goleiro Tadeu. De tanto insistir, conseguiu o empate aos 42 minutos do segundo tempo: Bruno José rolou a bola para trás, e Marcinho bateu rasteiro no canto esquerdo.

Os próximos dois jogos do Cruzeiro serão fora de Belo Horizonte. Nesta quarta-feira, às 21h30, a equipe mede forças com a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. No sábado, às 19h, terá pela frente o Operário, no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, no interior do Paraná. Com um ponto em três rodadas (um empate e duas derrotas), o clube celeste ocupa o penúltimo lugar na classificação.

Compartilhe