Rhodolfo: 'Tem que dar a vida, o Cruzeiro não pode ficar nesta situação'

Zagueiro de 34 anos foi apresentado na manhã desta quarta-feira

30/06/2021 09:53 / atualizado em 30/06/2021 15:44
compartilhe
Rhodolfo também falou que pode acrescentar experiência ao grupo da Raposa
foto: Reprodução/YouTube

Rhodolfo também falou que pode acrescentar experiência ao grupo da Raposa

O zagueiro Rhodolfo, de 34 anos, destacou o tamanho do Cruzeiro e disse que o clube não pode continuar nesta situação complicada em termos financeiros. Em sua apresentação na Toca II, na manhã desta quarta-feira, o jogador ressaltou que todos os atletas têm que dar o máximo para que o time dê a volta por cima.  



"A responsabilidade vai ser grande, não só minha, mas de todos os atletas. O clube está passando por um momento difícil, todos sabem disso. Mas nós, os jogadores, somos os únicos que podem dar a volta por cima, porque a grandeza que o Cruzeiro é, não pode estar passando por uma fase dessas. Eu, como um jogador experiente, passei por diversas equipes e enfrentei tanto momentos bons quanto ruins. Cada um tem que dar o máximo, tem que dar a vida, porque o Cruzeiro pela estrutura que tem, pela qualidade e pelo peso da camisa, não pode ficar nesta situação", disse. 

O defensor também afirmou que não pensou duas vezes para assinar com a Raposa. Segundo ele, os atrasos salariais do clube não pesaram contra na negociação. 

"Quando eu cheguei aqui, já sabia das dificuldades que o clube vem passando. A gente vê as notícias, acaba acompanhando por fora. O Cruzeiro é um clube muito grande, então a gente fica triste pela situação que o clube vem passando. Mas quando eu vim, quando surgiu o nome do Cruzeiro, falei para o meu empresário negociar que eu nem queria saber a parte salarial. Lógico, é muito importante o dinheiro sim, mas o mais importante é o Cruzeiro subir e, com ele subindo, todos ganham juntos", explicou.



Rhodolfo também ressaltou o peso do técnico Mozart e do diretor de futebol, Rodrigo Pastana. O jogador elogiou a mentalidade do treinador, que, de acordo com ele, é parecida com a de Jorge Jesus, ex-técnico do Flamengo e atualmente no Benfica, de Portugal. 

"Eu trabalhei com o Mozart no Coritiba por um breve período, acho que uns seis, sete meses. Conversei bastante com ele, conversei como era jogar na Europa. Ele também me perguntou algumas coisas do Jorge Jesus, com quem eu trabalhei no Flamengo. E a mentalidade dele é meio parecida com a que treinamos com o Jesus no Flamengo. Conversei com o Pastana antes de vir, ele que pediu minha contratação. Conversei brevemente com o Mozart, porque quando cheguei eles viajaram para o jogo contra o CSA, então não tive tempo de conversar com ele ainda. Mas estou muito feliz e contente. Vou dar o meu máximo por essa camisa", afirmou.

Experiência e estreia


O atleta assinou contrato com o Cruzeiro até o fim da disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Ele já foi registrado no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e agora depende da parte física para fazer sua estreia.

Rhodolfo, que já passou por grandes clubes do futebol brasileiro como São Paulo, Athletico-PR, Flamengo e Grêmio, projetou que pode passar experiência aos zagueiros do clube. 

"Assisti alguns jogos do Cruzeiro, tem bastante jogadores jovens e de muita qualidade. Venho para somar, passar experiência para a 'rapaziada'. Eu sei que o momento é difícil, às vezes um erro do time e a gente acaba sofrendo o gol. Mas tenho certeza que a hora que a vitória começar a chegar, as coisas mudam. Falta a gente pegar uma sequência boa de vitórias. Estou chegando agora, mas vou estar passando experiência e, no que eu puder ajudar os mais jovens, vou ajudar", destacou.

O zagueiro ainda não estará à disposição do Cruzeiro contra o Guarani, às 19h desta quarta-feira, no Mineirão, pela 8ª rodada. O jogador estava há quatro meses sem clube, mas vinha treinando em casa. Ele acredita que, no máximo entre uma semana e 10 dias, vai poder fazer sua estreia pelo clube. 


Compartilhe