Cruzeiro: agente de Felipão diz que faltava alimentação na concentração

Empresário Jorge Machado ainda criticou a diretoria e narrou sofrimento dos funcionários

12/10/2021 13:27 / atualizado em 12/10/2021 17:10
compartilhe
Machado disse que Felipão estava sofrendo emocionalmente no clube
foto: Gustavo Aleixo / Cruzeiro

Machado disse que Felipão estava sofrendo emocionalmente no clube

Empresário do técnico Luiz Felipe Scolari, Jorge Machado disse que o treinador chegou a pagar passagens do próprio bolso para jogadores quando dirigiu o  Cruzeiro , entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021. Machado ainda contou que funcionários procuravam Felipão para pedir ajuda em função dos salários atrasados e revelou que chegou a faltar alimentação aos atletas na concentração. 

"O Cruzeiro está totalmente quebrado, não tenho nenhum receio de falar, eles não cumpriram nada, mentiram, foi uma diretoria mentirosa, falaram que bancariam o Felipão e a situação do plantel, mas o clube ficou com salários atrasados, falta de pagamento de funcionários, teve época que o Felipão teve que entregar do próprio bolso para pagar passagens para os jogadores viajarem. E quem pediu para sair do Cruzeiro foi o Felipão. Quando ele livrou o Cruzeiro da Terceira Divisão, ele foi chamado para fazer um planejamento para o outro ano, e o Felipão pediu o boné e saiu", disse Machado, em entrevista à Rádio Grenal



"Salários atrasados, dificuldade financeira, falta de contratação porque impediram o Cruzeiro por falta de pagamentos pelos processos na Fifa. Para você ter uma ideia, chegou a ter falta de alimentação na concentração", acrescentou.

Nos últimos anos, o Cruzeiro chegou a dever os vencimentos para funcionários que recebem um salário mínimo. De acordo com Jorge Machado, Felipão ajudou algumas famílias. "Felipão não fala isso, mas eu não tenho problema nenhum de falar, até funcionários do clube, cortadores de grama, cozinheiros, todos reclamavam com Felipão sobre salários atrasados, dificuldades que estavam na família, (e acabaram) recebendo a ajuda do Felipão".

"Pessoas que prometeram no dia da contratação (os patrocinadores) que bancariam o vestiário para que o Felipão não tivesse este problema - e ele teve muito este problema -, as mesmas pessoas que fizeram isso abandonaram o Cruzeiro quatro, cinco rodadas depois. Foi um problema político", adicionou.

O treinador estava sofrendo emocionalmente no Cruzeiro, conta Machado. "Lá (no Cruzeiro), foi realmente um estágio para o Felipão, que estava sofrendo emocionalmente, sei disso porque o Cruzeiro é devedor de jogadores meus, está em débito com o Sobis, está em débito com a minha empresa, o Cruzeiro não me pagou até hoje", frisou.

"No Cruzeiro, o Felipão atingiu até mais do que o objetivo para o qual foi contratado. Objetivo era livrar o Cruzeiro no primeiro ano, que o time estava horroroso, fez uma campanha para chegar ao G4 e, no segundo ano, subir. Como ele conseguiu escapar da Terceira Divisão muito antes do tempo previsto, as cobranças começaram a vir".

Diretoria


Depois de criticar a diretoria, Jorge Machado disse que o presidente Sérgio Rodrigues não tinha culpa, já que ele herdou parte dos problemas. "O atual presidente não tem culpa disso. As pessoas deixaram o Cruzeiro desta forma. O presidente atual é uma pessoa que batalha, que tenta, mas ele está sozinho, pelo menos na época em que a gente estava lá".

"É uma pessoa (Sérgio Rodrigues) que trabalha muito, tenta e não consegue. Ele deve estar fazendo uma palestra (em Portugal) de como não se deve fazer, porque foi o que deixaram para ele. Ele é um cara do bem, que não tinha experiência e jogaram a bomba nele e ele pegou", disse.

Dívida com Sobis


Machado ainda disse que Cruzeiro e Rafael Sobis repactuaram uma dívida, mas o clube segue sem pagá-la. "A dívida do Sobis era enorme, ela foi reacordada pela metade para o Sobis voltar, o Sobis aceitou e não está sendo cumprida, mas acho que não é pela falta de vontade do presidente. O clube ficou inviável por tudo que foi feito com o Cruzeiro".

Procurado pelo Superesportes , o clube preferiu não se posicionar sobre o tema, "porque o foco está no jogo importante de hoje". Nesta terça-feira, o time celeste enfrenta o Botafogo, pela 30ª rodada da Série B. A partida está marcada para 21h30, no Independência.

Compartilhe