Cruzeiro levou gol de Cuca e foi atropelado pelo Remo em último duelo em BH

Equipes voltam a se enfrentar na capital mineira depois de 27 anos

28/10/2021 08:00 / atualizado em 28/10/2021 08:44
compartilhe
Dida foi goleiro do Cruzeiro de 1994 a 1998
foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

Dida foi goleiro do Cruzeiro de 1994 a 1998


Depois de 27 anos, Cruzeiro e Remo voltam a se enfrentar em Belo Horizonte, às 21h30 desta quinta-feira, no estádio Independência, pela 32ª rodada da Série B. O último duelo na capital mineira ficou marcado por ser um dos maiores vexames do clube na história do Campeonato Brasileiro. A equipe do Pará não tomou conhecimento dos donos da casa e ganhou por 5 a 1 , no Mineirão, em 13 de novembro de 1994, pela repescagem da competição.

O destaque da partida foi o ponta-direita Helinho, que castigou os defensores celestes com quatro gols: dois no primeiro tempo, aos 22 e 30 minutos, e dois no segundo, aos 11 e 43 minutos. Quem também defendeu o Leão Azul foi Cuca, atual treinador do Atlético. Com a camisa 8, o então meio-campista de 31 anos balançou a rede aos 17 minutos da etapa final com uma finalização no ângulo direito do goleiro Dida.

Mário Tilico marcou o gol de honra do Cruzeiro aos 22 minutos do segundo tempo. Apesar da derrota acachapante, o time mineiro, que tinha Palhinha como técnico, criou muitas chances na partida. O goleiro do Remo era Clemer, que viria a se tornar ídolo de Flamengo e Internacional. Ele fez pelo menos sete defesas difíceis, além de contar com a sorte quando o lateral-esquerdo Nonato cobrou pênalti na trave na etapa inicial.

Assista aos lances de Cruzeiro 1x5 Remo em 1994 (crédito: TV Globo)


Com o revés por 5 a 1, o Cruzeiro correu risco de cair para a Série B, porém ganhou consecutivamente de Náutico, no Mineirão (2 a 0), e União São João, em Araras-SP (3 a 2), e garantiu a permanência na elite nacional mesmo tendo perdido as duas últimas rodadas para Atlético (1 a 0) e Vitória (2 a 0).

A Raposa terminou a repescagem em sexto, com 12 pontos, mas com maior número de triunfos que o Remo - 5 a 3 -, rebaixado à Segunda Divisão ao lado do Náutico (9 pontos). O título do Brasileirão de 1994 ficou com o Palmeiras, que bateu o Corinthians na decisão com vitória por 3 a 1, na ida, e empate por 1 a 1, no jogo de volta.

Retrospecto


O retrospecto aponta que o Cruzeiro é “freguês” do Remo. Em 11 jogos, o clube do Norte ganhou cinco, empatou quatro e perdeu apenas dois. A última vitória da Raposa foi em 10 de outubro de 1979, pelo Brasileiro: 3 a 0, no Mineirão. Já o Leão conquistou os três pontos na 14ª rodada da Série B, em 20 de julho de 2021: 1 a 0, no Baenão, em Belém.

Ficha de Cruzeiro 1x5 Remo


Cruzeiro
Dida; Zelão, Arley (Célio Lúcio), Lelei e Nonato; Ademir, Douglas (Jean Carlo) e Toninho Cerezo; Mário Tilico, Cleison e Roberto Gaúcho
Técnico: Palhinha

Remo
Clemer; Marcelo, Belterra (Walter), Flávio e Serginho; Cleberton, Cuca (Mauro) e Luiz Carlos Goiano; Mazinho, Helinho e Rogerinho
Técnico: Fernando Oliveira

Gols: Mário Tilico, aos 22 do 2ºT (Cruzeiro); Helinho, aos 22 e 30 do 1ºT e aos 11 do 2ºT, Cuca, aos 17 do 2ºT, e Helinho, aos 43 do 2ºT (Remo)

Cartões amarelos: Clemer, Serginho e Rogerinho (Remo)

Motivo: repescagem do Campeonato Brasileiro de 1994

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte

Data: 13 de novembro de 1994 (domingo)

Árbitro: Aloísio Oliveira Viug (RJ)

Assistentes: Aristeu Leonardo Tavares e André Luiz Brilhante (RJ)

Público: 2.002

Renda: R$10.143,00

Compartilhe