UAI

2

Racing homenageia torcedores desaparecidos durante a ditadura argentina

Esta iniciativa é fruto de um projeto que o time lançou no dia 19 de março a partir de uma apresentação de cinco sócios

07/12/2021 17:35
compartilhe

O Racing Club prestou homenagem aos 45 torcedores do clube desaparecidos e assassinados durante a última ditadura argentina (1976-1983)
foto: Racing/Reprodução

O Racing Club prestou homenagem aos 45 torcedores do clube desaparecidos e assassinados durante a última ditadura argentina (1976-1983)

 

O Racing Club prestou homenagem, nesta terça-feira (7), aos 45 torcedores do clube desaparecidos e assassinados durante a última ditadura argentina (1976-1983). O clube deu a eles o status de sócios.

 

Esta iniciativa é fruto de um projeto que o time lançou no dia 19 de março a partir de uma apresentação de cinco sócios, entre eles o jornalista e escritor Carlos Ulanovsky e o ator Osvaldo Santoro.

 

 

 

A investigação foi realizada ao longo deste ano no arquivo histórico do Racing, onde foram encontrados formulários de inscrição que permitiram a descoberta de inúmeros casos de pessoas "que foram sequestradas, desaparecidas e assassinadas durante a ditadura", informou a equipe.

 

As novas credenciais de sócio serão entregues aos familiares dos desaparecidos.

 

"O Racing também foi vítima do genocídio que atingiu a Argentina desde meados dos anos setenta (1970) a partir do momento em que sabemos que tem sócios - ou seja, membros legais e legítimos da instituição - que foram atingidos pelo plano sistemático de extermínio implantado em todo o território nacional", indica o documento apresentado pelos cinco sócios.

 

Além do Racing, Boca Juniors e River Plate também já prestaram homenagens a torcedores vítimas da ditadura argentina, que deixou 30 mil desaparecidos, segundo organizações humanitárias. 


Compartilhe