UAI

2

Com COVID-19, Scaloni desfalca Seleção Argentina no jogo contra o Chile

Treinador cumpriu isolamento, mas ainda testou positivo para coronoavírus

26/01/2022 20:07
compartilhe
Ainda com COVID-19, Scaloni será substituído pelo auxiliar, Walter Samuel, contra o Chile
foto: Alejandro Pagni/AFP

Ainda com COVID-19, Scaloni será substituído pelo auxiliar, Walter Samuel, contra o Chile


O técnico da Seleção Argentina, Lionel Scaloni, não viajará ao Chile para a partida das Eliminatórias da Copa do Mundo, que será disputada nesta quinta-feira, na cidade de Calama, por estar infectado com COVID-19. Informou o próprio treinador em uma coletiva de imprensa virtual.

"Tanto (seu assistente Pablo) Aimar quanto eu não poderemos fazer parte da delegação. Pablo está em sua casa há vários dias por ser um contato próximo. Completei o isolamento há vários dias, mas continuo dando (resultado) positivo e, para entrar no Chile, você precisa de um negativo", disse Scaloni.

A Argentina, classificada junto com o Brasil para o Catar 2022, já havia perdido para esta rodada dupla das Eliminatórias seu capitão e artilheiro, Lionel Messi, que também contraiu a COVID-19 em sua última visita ao país, em dezembro, e só voltou a jogar no domingo, com o PSG.

"Felizmente, estamos classificados", disse Scaloni. "Espero que, em Calama, sejamos um time bem armado contra um adversário muito difícil. Que os jogadores que vão entrar em campo continuem mostrando que estão à altura", completou.

Contra o Chile, Scaloni e Aimar serão substituídos no comando por Walter Samuel e Roberto Ayala, integrantes da comissão técnica da equipe campeã da Copa América 2021, anunciou o técnico.

A COVID-19 também deixou fora os atacantes Alexis Mac Allister, que testou positivo, e seu companheiro de quarto na concentração, Emiliano Buendía. "Um dos dois ia jogar", lamentou o técnico.

"Eu tenho a equipe, mas eles não puderam confirmar quem vai jogar por causa de tudo o que está acontecendo com a questão da COVID. Certamente, não haverá contratempos, mas temos que esperar e ser cautelosos", acrescentou Scaloni.

Desde o início do ano, a Argentina enfrenta uma terceira onda de COVID-19, com média de mais de 100 mil casos e quase 300 mortes diárias. No total, mais de 8 milhões de infecções e 120.000 mortes foram registradas, enquanto 76% da população tem o esquema completo de duas doses da vacina.

A Argentina disputará o segundo jogo desta rodada dupla das Eliminatórias Sul-americanas contra a Colômbia, na terça-feira, na cidade de Córdoba.

Compartilhe