UAI

2

Comitê Olímpico do Brasil completa 108 anos

COB contabiliza, em sua trajetória centenária, a conquista de 150 medalhas em Jogos Olímpicos (37 ouros, 42 pratas e 71 bronzes, além de 1.374 em Pan-Americanos

08/06/2022 13:03
compartilhe
Logomarca do Comitê Olímpico do Brasil, que completa 108 anos nesta quarta-feira
foto: Reprodução/COB

Logomarca do Comitê Olímpico do Brasil, que completa 108 anos nesta quarta-feira

O Comitê Olímpico do Brasil chega aos 108 anos nesta quarta-feira (8), numa trajetória que contabiliza a conquista de 150 medalhas em Jogos Olímpicos – sendo 37 de ouro, 42 de prata e 71 de bronze – e mais 1.374 em Jogos Pan-Americanos. 

Em Tóquio'2020, o país fez sua melhor campanha da história dos Jogos e encerrou a competição no 12º lugar do ranking, com recorde de medalhas. Ao todo foram 21: sete ouros, seis pratas e oito bronzes.

"Temos um papel fundamental no desenvolvimento do esporte do país, oferecendo todo apoio necessário para a preparação de atletas, com o intuito de que eles possam representar bem o Brasil em todas as competições. Nesse sentido, os números mostram que estamos no caminho certo", analisa Paulo Wanderley, presidente do COB.

Nos últimos meses, o COB anunciou a criação da Comissão Mulher no Esporte, lançou o projeto Memória Olímpica, fez campanhas de doação de alimentos para vítimas das chuvas e renovou parcerias importantes no âmbito educacional, com o fornecimento de bolsas para atletas. 

"A instituição tem uma representatividade muito forte, tanto em termos nacionais, quanto internacionais. Queremos usar essa força para promover não só os valores olímpicos, como amizade, respeito e excelência, mas também a educação, a integração cultural e a solidariedade", completa Paulo Wanderley.

Na atual gestão, houve a reforma do Estatuto Social da entidade, ampliando a participação de atletas na Assembleia, de um para 19; a criação do Conselho de Administração, do Conselho de Ética e dos Comitês de Integridade e de Conformidade.

Segundo a entidade, em 2022 serão destinados cerca de R$ 165 milhões dos recursos ordinários da Lei das Loterias às modalidades olímpicas, aumento de 10% em relação a 2021.

Hall da Fama


Neste ano, o COB também lançou uma sequência de minidocumentários com integrantes do Hall da Fama, disponibilizada no Canal Olímpico do Brasil e no Youtube do Time Brasil, dando início às comemorações dos 108 anos do Comitê.

Já foram publicados os episódios de Fofão, do volêi, e Aurélio Miguel, do judô. O último vídeo tem como personagem Servílio de Oliveira, do boxe, e será publicado nesta quarta-feira.

"Esse tipo de reconhecimento também pode servir como motivação para os mais jovens que, ao conhecerem histórias vitoriosas, poderão se inspirar para seguir o mesmo caminho", enfatiza Rogério Sampaio, diretor-geral do COB.


Compartilhe