UAI


Mineira Amanda Ribas busca voos altos depois de reabilitação no UFC

Lutadora de Varginha quer voltar rápido ao octógono e foca no cinturão

04/11/2021 20:30
compartilhe
Amanda Ribas comemorou muito com a equipe a vitória sobre Virna Jandiroba
foto: Reprodução/Instagram

Amanda Ribas comemorou muito com a equipe a vitória sobre Virna Jandiroba


Depois de se reabilitar com vitória sobre a baiana Virna Jandiroba, por decisão unânime dos juízes, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, a mineira Amanda Ribas projeta voos maiores no peso palha (52kg) do UFC. A lutador de Varginha retornou para casa mais confiante de que poderá seguir firme ao grande objetivo: disputar o cinturão e ser a nova campeã da categoria. 

Amanda vinha de derrota para outra brasileira, Marina Rodriguez, por nocaute técnico, no UFC 257, também em Abu Dhabi, em janeiro deste ano. Foi o primeiro revés da mineira na organização, depois de quatro triunfos seguidos. A reação, segundo ela projetou, representou o passo que precisava para recuperar a confiança e buscar espaço na divisão até 52kg.

Mineira teve duelo equilibrado em Abu Dhabi, mas levou a melhor na decisão dos juízes
foto: Reprodução/UFC

Mineira teve duelo equilibrado em Abu Dhabi, mas levou a melhor na decisão dos juízes



"Eu quero o topo, eu quero ser campeã no UFC, quero o cinturão. Pode não ser este ano, talvez o ano que vem, mas eu quero ele", afirmou a lutadora de Varginha, que treina acompanhada do pai, o head coach Marcelo Ribas, da Ribas Team, e também utiliza a estrutura da American Top Team (ATT), na Flórida (EUA). "Independente de quando for, eu estou me preparando para ser a campeã", reforçou Amanda, em entrevista à EPTV, afiliada da TV Globo na cidade mineira. 

Amanda, de 28 anos, evitou falar em próxima adversária, mas ressaltou que a ideia é voltar o quanto antes ao octógono para se manter em atividade e crescer no ranking do peso palha. "Eu falei com o UFC que se eu puder lutar até dezembro, vou gostar muito. É o meu trabalho. Quanto mais eu competir, melhor pra mim", avaliou a mineira, que soma seis vitórias e uma derrota no UFC. Na carreira, ela ganhou 13 vezes e foi superada em dois combates.



Compartilhe