UAI

2

José Aldo embala no peso-galo do UFC e já mira nova disputa de cinturão

Manauara comemorou terceira vitória seguida, que o levou ao terceiro lugar no ranking e o aproximou de novo title-shot

07/12/2021 19:46 / atualizado em 07/12/2021 20:01
compartilhe
Aldo comemora vitória por pontos sobre Font, a terceira seguida no peso-galo do UFC
foto: Jeff Bottari/UFC/Zuffa LLC

Aldo comemora vitória por pontos sobre Font, a terceira seguida no peso-galo do UFC


Aos 35 anos, José Aldo vive mais um bom momento no UFC. Com o triunfo sobre Rob Font, por pontos, no sábado passado, em Las Vegas, o manauara conquistou a terceira vitória seguida no peso-galo e apareceu no top 3 do ranking da divisão até 61kg. Ele estreou na categoria com revés para Petr Yan, pelo cinturão, em dezembro de 2020, mas se recuperou e engatou nova série positiva, o que o recoloca entre os candidatos a novo title-shot.

Depois da derrota para o russo, Aldo bateu Marlon Vera, Pedro Munhoz e agora Rob Font, todos por decisão unânime dos juízes. O manauara, que estava em quinto no ranking, subiu duas posições, deixou para trás Cory Sandhagen e o próprio Font, e alcançou o terceiro lugar. 

Aldo está atrás apenas de Petr Yan, dono do cinturão interino, e TJ Dillashaw, que já teve o título nas mãos, respectivamente primeiro e segundo colocados no top 15 do peso-galo. O campeão, Aljamain Sterling, ocupa o topo da lista, acima dos candidatos a title-shot. 

"Sem palavras pra declarar tudo que sinto nesse momento! Respeito, carinho, felicidade por tudo e por todos que estão ao meu lado nessa caminhada. Só agradecer a Deus por todas as pessoas que ele coloca em minha vida!", escreveu o brasileiro no Instagram, ao lado de foto comemorando a vitória de sábado com o técnico André Pederneiras e o restante da equipe da Nova União. 

Campeão peso-pena entre 2010 e 2015, quando foi destronado pelo irlandês Conor McGregor, José Aldo ganhou o titulo interino diante de Frankie Edgar, em 2016, mas, já com o cinturão linear novamente, deixou o posto ao ser nocauteado por Max Holloway, em 2017. O brasileiro perdeu a revanche contra o havaiano, se recuperou em seguida, até o revés para Marlon Moraes, por decisão dividida, na estreia nos galos. 

Depois de três derrotas seguidas, incluindo a disputa de cinturão contra Petr Yan, em Abu Dhabi, o manauara se recuperou e engatou a sequência de três vitórias na divisão dos galos. Com isso, ele ganhou novo impulso para brigar novamente pela disputa de título no UFC. 




Compartilhe