UAI


Comentarista aponta favoritismo mineiro na Superliga Feminina e Masculina

Para Marco Freitas, times de Minas despontam como candidatos ao título

22/10/2021 08:03 / atualizado em 22/10/2021 08:39
compartilhe
Cruzeiro e Minas são os principais candidatos ao título na opinião do comentarista Marco Freitas
foto: Agência i7/Cruzeiro

Cruzeiro e Minas são os principais candidatos ao título na opinião do comentarista Marco Freitas


Principal competição no calendário do vôlei brasileiro, a Superliga começa neste fim de semana com a versão no masculino. No feminino, a bola subirá a partir do próximo dia 28. Os times mineiros estão muito bem cotados entre os favoritos ao título, em ambas as disputas, na visão de Marco Freitas, cometarista do SporTV e da TV Globo , em análise ao Superesportes

No masculino, Cruzeiro, hexacampeão, e o Minas, que tem quatro títulos da Superliga e mais seis do antigo Campeonato Brasileiro, despontam como candidatos ao título na opinião de Marco Freitas. Já em relação os demais representantes mineiros, Montes Claros América e Uberlândia, a situação é bem diferente e, de acordo com o comentarista, a briga é pela permanência na elite nacional. 

No feminino, os times mineiros estreiam no próximo dia 29, sexta-feira. Atual bicampeão da Superliga, o Minas, segundo o analista do SporTV e da TV Globo , é grande favorito a erguer a taça. Mas tem ainda no encalço, a exemplo das temporadas anteriores, o rival Praia Clube, de Uberlândia. Nas duas edições anteriores, as minas-tenistas bateram as aurinegras do Triângulo na decisão. 

Em análise ao Superesportes , Marco Freitas considera grande a possiblidade de os mineiros seguirem no topo da Superliga, tanto no masculino como no feminino. Mesmo com grupos reformulados, ele vê Cruzeiro e Minas, entre os homens, e Minas e Praia, na disputa das mulheres, equipes que deverão brigar pelo título na temporada 2021/22. Mas prevê uma competição mais equilibrada que em anos anteriores.

Confira a análise do comentarista


SUPERLIGA 

A Superliga Masculina de Vôlei promete ser mais equilibrada do que nas edições anteriores. Minas, Cruzeiro e Campinas devem brigar pelo título. A disputa muito boa será para chegar nas quartas de final. A equipe de Natal (ex-Taubaté), Guarulhos, SESI SP e São José devem brigar pela última vaga. 

A competição feminina tem novamente como favoritas as equipes do Minas, atual campeão, e o Praia Clube, atual vice. Osasco, Sesi Bauru e o Flamengo lutarão por vagas nas semifinais. O time de Barueri, comandado pelo técnico Zé Roberto (José Roberto Guimarães, técnico), e o Fluminense devem chegar nos playoffs. A luta pela oitava e última vaga promete muita disputa entre as demais equipes.

Uma das surpresas na Superliga passada, Montes Claros América perdeu peças importantes
foto: Mateus Gonçalves/FMV

Uma das surpresas na Superliga passada, Montes Claros América perdeu peças importantes



MASCULINO - ANÁLISE DOS TIMES MINEIROS

MINAS 

Manteve a base vice-campeã da última edição, inclusive o genial (levantador) William. Os reforços que chegaram aumentaram muito as possibilidades de título para a equipe mais tradicional do vôlei brasileiro. Destaques para o campeão olímpico (2016) Maurício Souza (central) e o campeão mundial (2010) Leandro Vissotto (oposto). Além disso, o ótimo Nery Tambeiro (técnico) segue no comando da equipe, que conta ainda com uma das maiores promessas do vôlei brasileiro, o ponteiro Arthur Bento de apenas 17 anos e 2,08 de altura.

CRUZEIRO

A equipe celeste tem tudo para voltar a disputar o título depois da decepção na última temporada, quando terminou em quinto. A volta do craque Wallace (oposto) deve contribuir muito para isso. Outra contratação pontual foi o Lucas Lóh (ponteiro), que dará mais qualidade a recepção. A grande mudança está no banco, sai o Marcelo Mendes e entra o ex capitão do time Filipe (Ferraz, novo técnico). O Cruzeiro tradicionalmente aposta na continuidade do elenco, que tem no levantador Cachopa, o central Isac e o ponteiro cubano Lopez os seus destaques.

UBERLÂNDIA

Com uma excelente campanha para quem fazia a sua estreia na última edição, terminando na sétima posição, a valente equipe do Triângulo Mineiro vai precisar se reconstruir nessa temporada. Perdeu jogadores importantes como os levantadores Matheus Brasília e Bernardo Westermann, além dos bons ponteiros Arthur Nath e Matheus Silva. Vai brigar para se manter na elite. Depois de um ótimo trabalho com o Curitiba Vôlei na última edição feminina, Pedro Moska assume o time na sua primeira grande experiência no vôlei masculino.

MONTES CLAROS AMÉRICA

O time de Montes Claros também trocou de técnico. Saiu Fabiano Magoo e para o seu lugar chegou Henrique Furtado, que por muitos anos foi assistente técnico de Marcelo Mendez no Cruzeiro. Com a perda do Levantador Rodriguinho, do oposto Lucas Borges e do central Judson, a capacidade técnica da equipe ficou bem comprometida. O time ainda conta com a versatilidade do oposto/central Jo e a raça e o talento do ponteiro Ygor Ceará.

Campeão e vice nas duas temporadas anteriores, Minas e Praia devem manter protagonismo
foto: Cristiano Andujar/CBV

Campeão e vice nas duas temporadas anteriores, Minas e Praia devem manter protagonismo



FEMININO - ANÁLISE DOS TIMES MINEIROS

MINAS

O campeão das duas últimas edições mudou muito pouco para essa temporada. O grande mérito foi conseguir manter três das jogadoras mais importantes no vôlei brasileiro hoje: a levantadora Macris e as centrais Carol Gattaz e Thaísa.  O time trouxe uma segunda oposta muito talentosa, a Kisy, ex-Barueri. Quem também chegou foi a ponteira turca Neriman Ozsoy. Com muita experiência nas grandes ligas do mundo, Ozsoy veio para o lugar da americana Megan Easy. O Minas tem time para conquistar o quinto título brasileiro, seria o terceiro consecutivo.

PRAIA CLUBE

O Praia Clube fez poucas, mas mudanças bem oportunas. Após terminar entre as principais pontuadoras na última edição, defendendo o Brasília, a jovem oposta Ariane tem a grande chance da carreira. Outra jovem promessa que chega cercada de boas expectativas é a ponteira Tainara. Para dar qualidade a recepção, a equipe foi buscar as também ponteiras Kasyele e Vanessa Janke. A equipe divide com seu maior rival regional o favoritismo para todos os campeonatos dessa temporada. O time perdeu o brilho da (ponteira) Fernanda Garay, mas renovar com as irmãs Martínez (Jineiry, central, e Brayelin, oposta) foi sem dúvida uma bela atitude da diretoria do clube.

Compartilhe