UAI


Minas divulga nota sobre Maurício Souza após acusações de homofobia

Clube informa que orientou o central sobre o caso e rechaça discriminação

25/10/2021 20:40 / atualizado em 26/10/2021 19:23
compartilhe
Maurício Souza é defensor do presidente Jair Bolsonaro e tem causado polêmica nas redes
foto: Orlando Bento/Minas

Maurício Souza é defensor do presidente Jair Bolsonaro e tem causado polêmica nas redes


Nesta segunda-feira, o Minas se posicionou sobre acusações de comentários homofóbicos por parte do central do time de vôlei, Maurício Souza, feitas por uma ala da torcida. O clube minas-tenista divulgou postagens no Twitter e no site, nas quais defendeu a liberdade de expressão dos atletas nas redes sociais. A agremiação informou que conversou sobre a situação com o atleta, passou orientações e rechaçou qualquer forma de discriminação. A manifestação do MTC no perfil oficial foi criticada pela maioria dos internautas que opinaram nas publicações. 

Na sexta-feira passada, a torcida Independente, que apoia o Minas, informou, em nota nas redes sociais, que não concordava com a postura de Maurício Souza, acusado de comentários homofóbicos. O grupo anunciou que o jogador, que esteve com a Seleção Brasileira na Olimpíada de Tóquio (terminou em quarto lugar) e retornou ao clube mineiro nesta temporada, seria 'invisibilizado' em dias de jogos. Ou seja, o central seria nome ignorado pelos torcedores da organizada.

"Homofobia é crime inafiançável no Brasil, passível de cadeia. No ano passado, 224 LGBTs foram assassinados no país, um dos mais violentos do mundo. É inaceitável que tenhamos que ver, calados, atos criminosos serem cometidos por um jogador que veste a nossa camisa como se fossem normais", protestou o grupo, em trecho do comunicado sobre o assunto. 

A indignação com a postura de Maurício Souza ocorreu por causa de comentários do jogador nas redes sociais. Recentemente, ele criticou a DC Comics depois que a editora de HQs anunciou que o filho do Super Homem, um dos principais personagens da empresa, é bissexual. O central, campeão olímpico com o Brasil em 2016, no Rio de Janeiro, gravou vídeos para defender a posição. 





NOTA DO MINAS


Na noite desta segunda-feira, o Minas divulgou postagens no Twitter sobre o caso. E o clube descartou qualquer tipo de punição ou mesmo repreensão ao comportamento do jogador. O MTC defendeu a liberdade de expressão dos atletas. Confira o comunicado, na íntegra:

"O Minas Tênis Clube está ciente do posicionamento público do atleta Maurício Souza, do Fiat/Gerdau/Minas. Todos os atletas federados à agremiação têm liberdade para se expressar livremente em suas redes sociais.

O Clube é apartidário, apolítico e preocupa-se com a inclusão, diversidade e demais causas sociais.Não aceitamos manifestações homofóbicas, racistas ou qualquer manifestação que fira a lei.

A agremiação salienta que as opiniões do jogador não representam as crenças da instituição sociodesportiva. O Minas Tênis Clube pondera que já conversou com o atleta e tem o orientado internamente sobre o assunto."

Compartilhe