UAI

2

Cruzeiro vence Minas no tie-break e sai em vantagem na final da Superliga

Em grande jogo com casa cheia no Divino Braga, em Betim, time celeste passa por cima dos erros e ganha clássico decidido em cinco sets

24/04/2022 00:11 / atualizado em 24/04/2022 01:08
compartilhe
Cruzeiro supera erros, mostra habitual força ofensiva e bate o Minas em jogo de reviravoltas
foto: Agência i7/Cruzeiro

Cruzeiro supera erros, mostra habitual força ofensiva e bate o Minas em jogo de reviravoltas


Na base da superação, o Cruzeiro saiu em vantagem diante do Minas na decisão da Superliga Masculina. Em grande clássico na noite deste sábado, com mais de 5 mil pessoas no Ginásio Divino Braga, em Betim, o time celeste venceu o rival por 3 sets a 2 e ficou mais perto do sétimo titulo. As parciais foram de 26/24, 21/25, 15/25, 25/22 e 15/12.

O Cruzeiro erguerá o troféu da Superliga pela sétima em vez em caso de triunfo no segundo jogo, marcado para o dia 1º de maio, domingo, às 10h, ainda sem local definido. Ao Minas, resta dar o troco para forçar o terceiro e último confronto, agendado para 8 de maio, no mesmo horário e também sem sede anunciada.

Empurrado pela torcida, o Cruzeiro teve muita dificuldade, errou saques de forma excessiva e precisou jogar no limte para se recuperar depois de tomar a virada. A Raposa, no entanto, mostrou a habitual força de suas armas letais, como o oposto Wallace e o ponteiro López, para retomar o controle e levar a melhor no tie-break. 

Fotos de Cruzeiro 3 x 2 Minas na final da Superliga Masculina



O JOGO


O Minas teve uma baixa de última hora, o central Matheus Pinta, que nem entrou em quadra por causa de lesão. Ele foi substituído pelo jovem Kelvi, que mostrou serviço. O Cruzeiro começou atrás, mas aproveitou o fato de o rival desperdiçar contragolpes para buscar a virada no primeiro set. Após empate em 24 pontos, o time celeste foi cirúrgico e fez 26 a 24, abrindo o placar. 

O Minas, no entanto, conseguiu se recuperar e assumiu o controle da partida. O Cruzeiro se perdeu um pouco nos próprios erros, o saque não entrava e a recepção não era eficiente. Com isso, os minas-tenistas, com Honorato e Leozinho liderando os ataques, viraram para 2 sets a 1, com 25 a 21 e 25 a 15. 

O Cruzeiro foi para o tudo ou nada no quarto set. Os erros de saque persisitiam, mas as viradas de bola compensaram as falhas no serviço. Wallace cresceu de produção e comandou a reação celeste. Com ataque potente do oposto, a bola explodiu no líbero Maique, que não conseguiu recolocar em jogo. Vitória da Raposa por 25 a 22. O tie-break definiria o ganhador. 

O quinto set teve o Cruzeiro ativo, superando os saques errados com disposição e força nos sideouts. Com 8 a 5 no placar, a Raposa teve boa margem para se impor, com Wallace novamente decisivo. Ele virou mais uma bola e definiu o triunfo celeste: 15 a 12, 3 a 2. O Divino Braga, dominado pela torcida estrelada, explodiu em festa. 

Decisivo no tie-break, Wallace comandou a emocionante virada celeste em cinco sets
foto: Agência i7/Cruzeiro

Decisivo no tie-break, Wallace comandou a emocionante virada celeste em cinco sets



Eleito o melhor em quadra, Wallace recebeu o Troféu VivaVôlei e destacou o primeiro passo dado pelo Cruzeiro para conquistar o hepta da Superliga. "A gente sabia que seria desse jeito. Tivemos probleamas na linha de passe, ainda não havia acontecido isso, e foi no terceiro set. Conseguimos reverter no quarto e equilibramos. Mas não há nada ganho, demos um grande passo, mas jogar fora daqui será diferente. Vamos fazer de tudo para fechar a rodada", projetou. 

Do lado minas-tensita, o levantador William, acostumado a levantar troféus em brilhante passagem pelo Cruzeiro, exaltou a qualidade dos times. "Foi um grande jogo, sensacional, fico feliz de estar em um jogo com esse nível lá em cima, pegado. Fica o gostinho de que poderia ter sido para nós, mas são dois times que querem buscar o resultado o tempo todo. Jogamos bem, mas agora é buscar as vitórias e o título. Vamos brigar por isso", prometeu o veterano. 

Compartilhe