Mais Esportes

Quero ser como Cesar Cielo

postado em 05/03/2011 07:00

A chuva de ontem pela manhã, em Belo Horizonte, não desanimou o nadador Ítalo Manzine Amaral de cumprir sua rotina de seis horas diárias na piscina do Mackenzie, no Bairro Santo Antônio. Faça calor ou frio, sol ou chuva, ele é o primeiro a chegar, se aquece e cai na água para se exercitar sob o olhar atento da treinadora Lívia, a Baiana, sempre com cronômetro em mãos. Cada milésimo baixado é suado. O salto, as viradas e as braçadas são repetidas à exaustão. Afinal, não é fácil a vida de competidor da prova mais rápida da natação, a de 50m livre, no país que tem, simplesmente, o homem mais veloz do mundo, Cesar Cielo.

Ítalo tem apenas 18 anos e uma marca invejável, 22s49, conquistada nos 50m livre do Campeonato Brasileiro absoluto, que reúne nadadores de todas as idades. Ele ficou em 10º na prova vencida por Cielo, que nadou em 21s31 – um milésimo acima do tempo que lhe garantiu o ouro olímpico em Pequim’2008. “Foi uma experiência incrível. Pensei em parar na metade do ano passado para me dedicar aos estudos. Resolvi que iria nadar até o fim de 2010, mas os resultados dos últimos meses me motivaram”, confessou o nadador, que concilia os treinos com o curso de Administração à noite.

Nascido em Belo Horizonte, Ítalo morou em várias cidades por causa do trabalho do pai, Wiliam Duarte, assistente social. A primeira vez que caiu em uma piscina foi em Paraguaçu, Sul de Minas, aos 5 anos. Lá, fez aulas no Clube Ideal, com o professor Cidão, que o inscreveu na primeira competição dois anos depois. “Foi minha primeira medalhinha, que guardo até hoje”, conta o nadador, fã do americano Michael Phelps.

Ítalo voltou à capital em 2008, ao ser selecionado na peneira do Mackenzie. “No começo ele só tinha velocidade. Nadava bem os 50m, mas cansava no 100m e 200m. Fomos corrigindo aos poucos”, afirmou a treinadora. Para o coordenador de natação Daniel Teodoro, que divide as despesas do salário do nadador com o clube, a evolução de Ítalo foi surpreendente nos últimos meses.

Metas
A principal meta do nadador é disputar a olímpiada do Rio’2016. “Vou tentar índice para participar do revezamento 4x100 em Londres, mas reconheço que não será fácil. Um passo de cada vez”. Para participar da olimpíada do ano que vem, no revezamento, precisa nadar em torno de 22s30 e chegar entre os quatro melhores tempos na seletiva para os Jogos, no Brasil Open, em dezembro.

A curto prazo, ele se prepara para nadar o Troféu Maria Lenk, no começo de abril, no Rio. O Campeonato Brasileiro Júnior, do qual ele é o atual vice-campeão nos 50m livre, será em Anápolis-GO, em agosto. Ítalo também vai participar do Troféu José Finkel, que este ano será em Belo Horizonte, em setembro. “Desta vez, quero ficar entre os oito, para nadar lado a lado com o Cielo e outros atletas de ponta. Será um passo importante, que servirá de motivação para melhorar cada vez mais.”

Indianápolis
O astro da natação norte-americana Michael Phelps, dono de 14 medalhas olímpicas, venceu as provas dos 200 metros livre e 100 metros borboleta no Grande Prêmio de Indianápolis. Nos 100 metros borboleta, a medalha de prata ficou com o brasileiro Kaio Márcio Almeida. Phelps venceu a prova com o tempo de 51s75 e o brasileiro registrou 52s58. O japonês Masayuki Kishida, com 53s41, completou o pódio.

Tags: