UAI


Flávio Bolsonaro apoia Maurício e sugere boicote a patrocinadores do Minas

Senador e filho do presidente Jair Bolsonaro manifestou apoio às declarações do atleta de vôlei, que culminaram no seu desligamento da equipe mineira

27/10/2021 21:15
compartilhe
Senador Flávio Bolsonaro sugeriu boicote aos patrocinadores do Minas Tênis Clube após desligamento de Maurício Souza
foto: Evaristo Sá/AFP

Senador Flávio Bolsonaro sugeriu boicote aos patrocinadores do Minas Tênis Clube após desligamento de Maurício Souza


O senador Flávio Bolsonaro (PATRIOTA), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), apoiou o atleta Maurício Souza, do vôlei, e sugeriu boicote à FIAT e à GERDAU, patrocinadores do Minas Tênis Clube. Isso porque o atleta foi desligado da equipe de vôlei do clube mineiro após episódio de homofobia.

Em comentário em uma postagem de Maurício Souza no Instagram, Flávio Bolsonaro demonstrou apoio ao atleta e disse acreditar que ele não ficará sem time após o episódio. Ele caracterizou a situação como uma 'perseguição' ao jogador.

"Não compre produtos da @fiatbr (FIAT) e da @gerdau (GERDAU), são contra a liberdade de opinião! Estes patrocinadores do vôlei do @minastenisclube são os responsáveis pela perseguição ao grande @mauriciosouza17! Comer o pão que o diabo amassou para vencer na vida, pelos próprios méritos, não vale nada para esses patrocinadores. Toda minha solidariedade a você, Maurício! Não vai faltar time querendo seu talento e respeitando suas opiniões", disse o senador.

 

Comentário de Flávio Bolsonaro na postagem de Maurício Souza
foto: Reprodução/Instagram

Comentário de Flávio Bolsonaro na postagem de Maurício Souza

 


O Minas Tênis Clube informou, na tarde desta quarta-feira, no Twitter, que rescindiu o contrato do central Maurício Souza, de 33 anos.

Nas últimas semanas, o jogador foi alvo de muitas críticas em função de uma publicação com teor homofóbico no Instagram. O Minas oficializou a saída de Maurício minutos depois de o central pedir desculpas "a quem se sentiu ofendido" e lamentar o fato de não poder, segundo ele, "dar opiniões".

Homofobia


Maurício foi punido pelo Minas por criticar uma nova versão de quadrinhos do Super-Homem, na qual o herói é bissexual. Nas redes sociais, o jogador ironizou a escolha da empresa que desenha o personagem, a DC Comics.

"Hoje em dia o certo é errado, e o errado é certo... Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado, eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias. 'Ah, é só um desenho, não é nada demais'. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", escreveu em seu Instagram em 12 de outubro. 

Patrocinadores pressionaram


A demissão de Maurício Souza foi acelerada após manifestações da Fiat e da Gerdau, principais patrocinadoras da equipe de vôlei masculino do Minas. O afastamento e o pedido de desculpas do jogador nessa terça-feira não bastaram para as empresas, que pediram ações mais efetivas na manhã desta quarta.

Compartilhe