Copa América

COPA AMÉRICA

No retorno ao Mineirão, Argentina aposta as fichas em Messi para reagir contra o Paraguai

Craque é esperança dos argentinos para a volta por cima nesta quarta-feira

postado em 19/06/2019 07:01 / atualizado em 19/06/2019 01:13

<i>(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press)</i>
A Argentina entra em campo mais uma vez pressionada, agora para o jogo contra o Paraguai, nesta quarta-feira, às 21h30, no Mineirão, pela segunda rodada do Grupo B da Copa América. Depois de perder na estreia por 2 a 0 para a Colômbia, em Salvador, a equipe albiceleste aposta todas as fichas em Lionel Messi, como se tornou comum nos últimos 12 anos.

La Pulga já deu resposta quando requisitado pelo país natal, inclusive no Mineirão. Na Copa do Mundo de 2014, marcou no fim um golaço sobre o Irã, garantindo vitória por 1 a 0 pela segunda rodada e encaminhando a classificação no Grupo F, que tinha ainda Bósnia e Nigéria.

Porém, também já ficou em situação difícil, como na última vez em que atuou no Gigante da Pampulha, pela 11ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. Na oportunidade, o Brasil fez 3 a 0 na Argentina, que estava em queda livre e figurou fora até mesmo da zona de repescagem depois da “sapatada”.



Para completar, o jogador do Barcelona ainda busca o primeiro título com a Argentina. Multicampeão com o clube catalão e eleito o melhor jogador do mundo em cinco oportunidades, ele nunca conseguiu apresentar a mesma eficiência com a camisa albiceleste, que defende desde 2005, sendo o terceiro atleta que mais atuou pela seleção.

Isso acabou gerando críticas ao Sul do Rio da Prata. Há os que dizem que Messi, por ter ido para a Espanha ainda com 11 anos, não teria identidade com a Seleção Argentina. A verdade é que, já há algum tempo ele é um oásis de talento em meio ao caos tático e administrativo que se tornou a equipe administrada pela Afa.

Prova disso é que a equipe está no quarto treinador nos últimos cinco anos. Desde a saída de Alejandro Sabella, em 2014, passaram pelo cargo Gerardo Martino, Edgardo Bauza e Jorge Sampaoli. Nenhum deles conseguiu dar o padrão que o camisa 10 merece.

Isso agora é responsabilidade de outro Lionel, o Scaloni, que foi auxiliar de Sampaoli e assumiu de forma interina em agosto. Ele, no entanto, acabou derrotado no primeiro jogo oficial, que foi contra os colombianos, resultado inesperado.



“Ninguém fiou satisfeito com o primeiro jogo. Mas ainda temos a competição pela frente, está todo mundo pensando em fazer o melhor para equipe. No dia da derrota foi como tinha de ser, (muita tristeza) pois ninguém esperava. Mas temos a chance de reabilitação logo em seguida e vamos buscá-la”, afirmou o treinador.

Ele comandou, na Cidade do Galo, a última atividade antes da partida desta quarta-feira. Houve longa conversa com o grupo, em que Messi pediu a palavra. Outros atletas experientes, como o zagueiro Otamendi, e os atacantes Di María e Agüero, também falaram.

Os dois últimos, porém, não estão com tanto prestígio com o comandante e podem perder a condição de titular. Se isso correr, entram Lautaro Martínez e De Paul. Também saem o lateral-direito Saraiva e o volante Rodríguez para as entradas de Casco e Pereyra.

<i>(Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press)</i>


Paraguaios


Em situação bem mais tranquila, a Seleção Paraguaia quer aproveitar o desespero adversário. Em processo de renovação visando à Copa América para se preparar para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, a equipe Guarani vem de empate por 2 a 2 com o Catar, em jogo em que chegou a abrir 2 a 0.

O técnico Eduardo Berizzo, porém, sabe que não haverá facilidades diante dos argentinos. “No futebol tudo sempre tem dois lados. Podemos nos apoiar no fato de que eles vêm de derrota e precisam se recuperar. Mas eles também podem estar animados para reagir. De toda maneira, do nosso lado sabemos da importância da partida. É uma decisão e temos de ter uma ideia de jogo clara”, disse.

ARGENTINA X PARAGUAI

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 19 de junho, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Sampaio (BRA)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (BRA) e Rodrigo Corrêa (BRA)
VAR: Leodán Gonzales (URU)

ARGENTINA
Andrada, Casco, Pezzella, Otamendi e Tagliafico, Pereyra (Guido Rodríguez), Paredes, Lo Celso e De Paul; Messi e Agüero (Martínez ou Suarez)
Técnico: Lionel Scaloni

PARAGUAI
Gatito Fernández; Escobar (Valdéz), Balbuena, Gustavo Gómez e Junior Alonso; Rodrigo Rojas e Richard Sánchez, Derlis González, Óscar Romero e Miguel Almirón; Óscar Cardozo
Técnico: Eduardo Berizzo

Tags: futinternacional messi argentina paraguai mineirão