UAI


'Futebol é poluído', diz Marcus Salum sobre saída de Mancini do América

Coordenador de futebol clube-empresa do Coelho pediu tranquilidade à torcida do Coelho e garantiu sobre novo treinador: 'Não vamos demorar'

15/10/2021 14:35
compartilhe
Salum e Vagner Mancini na apresentação do treinador ao América, em junho
foto: Mourão Panda/América

Salum e Vagner Mancini na apresentação do treinador ao América, em junho


Nesta sexta-feira (15), um dia após a saída do técnico Vagner Mancini do América para comandar o Grêmio, o coordenador de futebol clube-empresa do Coelho, Marcus Salum, gravou um comunicado oficial à imprensa e aos torcedores americanos. No pronunciamento, o dirigente avaliou o pedido de demissão como uma situação que se repete porque o 'futebol é poluído'.

Marcus Salum garantiu que o América tentou negociar com Mancini por sua permanência - inclusive, oferecendo nova premiação por cumprimento de metas na temporada. Ainda assim, o treinador preferiu aceitar a proposta do time gaúcho, que ocupa a vice-lanterna da Série A do Campeonato Brasileiro com 23 pontos.

Salum também pediu tranquilidade aos torcedores do América, que esperam ansiosos pelo anúncio do novo treinador alviverde nas redes sociais. O dirigente garantiu que Diogo Giacomini, auxiliar permanente do Coelho, comandará a equipe neste sábado (16), às 21h, diante do Bahia no Independência, em Belo Horizonte - em partida válida pela 27ª rodada.

Por fim, o coordenador de futebol destacou: 'De repente, sempre o treinador do América é um dos melhores do Brasil'. Salum valorizou a estrutura e as condições oferecidas pelo clube para o desenvolvimento de trabalhos dos treinadores, enfatizando que a diretoria conduz projetos 'de qualidade'. Leia, a seguir, o pronunciamento completo do dirigente na íntegra.
 
 

Comunicado oficial de Marcus Salum


"Eu queria fazer um comunicado oficial do Departamento de Futebol do América, já que todo mundo está me ligando, todo mundo querendo saber notícias, vamos fazer uma notícia oficial de tudo que ocorreu.

Ontem, ao ir para a sede, eu tinha uma reunião. Recebi um telefonema do empresário do Vagner Mancini, e o Mancini estava na linha, comunicando que tinha recebido uma proposta oficial do Grêmio. Tentamos conversar e negociar, talvez, uma nova premiação. Colocaram com clareza que já tinham feito a proposta e que queria se desligar.

Perguntaram como é que poderia ser. Falei: 'Segue os canais normais. Vai pagar multa, o pedido de rescisão. Não vou abrir mão disso, porque é a quebra de um trabalho. Um trabalho que estava dando muito certo, construído com esforço'. Foi um dia difícil, um momento difícil.

Mas a mensagem que eu quero passar é para a torcida do América: para ter tranquilidade e saber que nós já estamos amadurecidos no futebol, há muitos anos, para enfrentar essas situações. Elas se repetem porque o futebol é poluído. Esse é o futebol brasileiro, e não adianta criar leis que não funcionam. É o futebol.

O América vai buscar um novo treinador, não vai demorar para fazer isso. Está discutindo o perfil. O jogo de sábado (contra o Bahia) já está resolvido: é o Diogo Giacomini que vai dirigir. É o auxiliar permanente do clube, com o Leo Cupertino, que vai ser o preparador, porque se desligaram, além do auxiliar, o analista e o preparador físico.

Então, o projeto de sábado está combinado. Eu vou receber os jogadores hoje, no CT. Vamos fazer reunião com eles, vamos para o hotel e vamos para o jogo, e vamos ganhar do Bahia. Esse é o projeto do América. O treinador nós vamos buscar o melhor que a gente conseguir, dentro do perfil do que nós queremos.

Agora, um recado que eu quero dizer para o mercado, mas, em especial, para a torcida do América. De repente, sempre o treinador do América é um dos melhores do Brasil! Deve ser porque o América tem um terreno fértil, onde o trabalho dos jogadores, da comissão técnica e da diretoria é de qualidade. Não é o primeiro e nem o último que vai acontecer isso. 

Um abraço a todos e que Deus nos ajude e nos ilumine para que a gente possa ter sucesso e cumprir a meta desse ano!".
 
Números e arrancada 

Contratado em meados de junho, Vagner Mancini comandou o América em 21 partidas e somou sete vitórias, nove empates e cinco derrotas (47,6% de aproveitamento). Sob seu comando, o Coelho marcou 24 gols e sofreu 23.

Com o treinador paulista, o América cresceu em desempenho e vinha construindo uma identidade de jogo muito forte. O time mineiro foi agressivo e se tornou uma equipe ainda mais consistente no momento defensivo, fosse incomodando a saída de bola dos adversários ou marcando um pouco mais recuada.

Pesou na decisão do treinador o potencial de investimento do América na sequência do trabalho. Depois de uma campanha de recuperação liderada por Mancini, o Coelho alcançou a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 31 pontos.

Compartilhe