UAI

2

Com Libertadores perto, Marquinhos Santos cita orgulho de dirigir o América

Coelho venceu o time catarinense por 3 a 0, nessa terça-feira (30/11), mas deslanchou mesmo no segundo tempo da partida

01/12/2021 01:07 / atualizado em 01/12/2021 01:40
compartilhe
Marquinhos Santos analisou o desempenho do Coelho contra Chapecoense
foto: Divulgação/América

Marquinhos Santos analisou o desempenho do Coelho contra Chapecoense


O técnico Marquinhos Santos elogiou a postura do América no segundo tempo da goleada por 3 a 0 diante da Chapecoense, nessa terça-feira (30/11), no estádio Independência, em Belo Horizonte. Em duelo válido pela 35ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, o Coelho saiu à frente no placar ainda no primeiro tempo, depois de defesa de pênalti do goleiro Matheus Cavichioli, mas não jogou bem. Após 'puxão de orelha' do treinador no intervalo, a equipe melhorou o desempenho.

 Com o triunfo, o Alviverde sobe do décimo para o oitavo lugar do Brasileirão, com 49 pontos. A duas rodadas do fim, o clube ficou mais perto de alcançar o objetivo de se classificar para a Copa Libertadores de 2022, o que seria um feito histórico.

Um dos concorrentes diretos à vaga, o Ceará foi derrotado pelo Flamengo por 2 a 1 no Maracanã, nesta terça-feira. O Internacional também ficou pra trás na classificação.
 
"É um sentimento diferente, é um orgulho fazer parte desta história, porque era um momento delicado, o clube vinha de três jogos sem vencer. Substituir um grande treinador que é o Vagner Mancini, aonde você chega posterior a um grande trabalho e você tem comparações, há dúvidas sobre seu trabalho e suas conquistas, mas não caí aqui de paraquedas. Chego aqui preparado. São quase dez anos, profissionalmente falando, e sete de Série A", disse.

O treinador destacou momentos pessoais delicados durante a pandemia, com a morte da mãe por COVID-19. Nesse contexto, o América apareceu como chance ímpar de trabalho e um alento. "É uma satisfação, um orgulho e um momento único. Tive títulos estaduais, conquistas internacionais, fiz parte de grupos com grandes conquistas, mas esse sentimento é diferente. É um ano diferente. Em março, perdi minha mãe por COVID-19, estou há muitos e muitos meses sem ver minha esposa e minhas filhas e o América me abraçou".

Bronca no intervalo


Marquinhos afirmou que, às vezes, é necessário apontar os erros cometidos durante a partida para conduzir o time à vitória. A vitória contra a Chapecoense exigiu um alerta no intervalo.

"Tem momentos que o treinador tem que puxar orelha, apontar e mostrar os erros da nossa equipe e os caminhos em relação à vitória. Foi isso que aconteceu. Nós temos trabalhado muito dentro do clube e no vestiário fomos um pouco mais enérgicos no intervalo porque precisávamos", disse. 
 


O comandante alviverde também parabenizou Cavichioli pela bela defesa na cobrança de pênalti do atacante Mike. O jogador da Chape tentou surpreender batendo rápido no canto direito, mas o arqueiro do Coelho voou para buscar a bola. 
 

América 3 x 0 Chapecoense: fotos do jogo no Independência



"E também foi um momento único na defesa do Matheus (Cavichioli), que vem fazendo um campeonato diferenciado. Ele é merecedor pelo seu trabalho. Ali foi determinante para que pudéssemos crescer na segunda etapa", pontuou. 

 

Jogo fundamental no domingo

 
O próximo compromisso do América na Série A será decisivo para definir o planejamento de 2022. Neste domingo (5/12), às 19h, o time mineiro enfrenta justamente a equipe cearense na Arena Castelão, em Fortaleza, pela 37ª rodada. 
 

Compartilhe