COLUNA DO JAECI

Não adianta ganhar Copa América e dar vexame no Mundial

Em 1989, Sebastião Lazaroni resolveu apostar tudo na conquista para se manter no cargo. Ganhou a competição, mas na Copa do Mundo da Itália foi um fiasco

postado em 26/05/2019 12:00

<i>(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)</i>
Parte dos 23 convocados para a Seleção Brasileira que vai disputar a Copa América no Brasil já treina em Teresópolis, e o auxiliar técnico de Tite, Cléber Xavier, diz que já tem o time para a estreia na cabeça. Xavier é um grande estrategista e quem, praticamente, faz os treinamentos táticos. Conhece futebol, mas optou pela carreira de assistente e jamais quis ser treinador. Nas suas entrevistas, percebo que é competente e sabe o que diz, conhecendo, inclusive, quase todos os jogadores de seleções adversárias e suas características. Ele e Tite só não contavam com o nó tático que o técnico da Bélgica, Roberto Martínez, lhes daria naquele 2 a 1, na Copa da Rússia. Recuou Fellaini, pôs Lukaku caindo pela direita, nas costas de Marcelo, e deixando De Bruyne mais perto do gol brasileiro. Foi fatal. Tite e Xavier tentaram corrigir os problemas no segundo tempo, mas já era tarde. Os técnicos brasileiros não sabem mudar suas equipes no vestiário. São poucos os que enxergam o jogo, os problemas e têm coragem até de mudar ainda nos primeiros 45 minutos. Tite viu uma Bélgica tomar sufoco do Japão e imaginou que seria galinha morta para o Brasil. Ledo engano. Voltou para casa mais cedo. E eu avisei que Filipe Luís era melhor que Marcelo na marcação. Havia feito grande partida contra o México. Porém, Tite insistiu com o lateral do Real Madrid. Os técnicos são teimosos e soberbos. 

O Brasil ficou 40 anos sem ganhar a Copa América e o torcedor jamais reclamou. Na época de Pelé e Garrincha, e depois na Era Zico, jamais nos importamos com esse troféu. Em 1989, Sebastião Lazaroni resolveu apostar tudo na conquista para se manter no cargo. Ganhou a competição, mas na Copa do Mundo da Itália foi um fiasco. Voltamos nas oitavas de final, sendo eliminados pela Argentina, de Caniggia e Maradona. Tite também está apostando na conquista para manter seu cargo. Bobagem dele, já que a diretoria da CBF garante que, independentemente do resultado, ele será mantido para a Copa do Catar, em 2022. Por isso, ele perdeu uma chance histórica de convocar o maior número de jovens e dar a eles experiência com a camisa amarela. Gosto muito de ver o Brasil campeão, pois, acima de tudo, somos brasileiros e torcemos pela nossa equipe. Porém, entre ganhar uma Copa América, que não tem o menor apelo – tendo, inclusive, Japão e Catar como convidados –, e ganhar a Copa do Mundo, opto pela maior competição de futebol do planeta. Não vai adiantar ganharmos a Copa América, pois não haverá festa da torcida, nem desfile dos jogadores em carro aberto. Lembram-se da Copa das Confederações? Enquanto as outras seleções vieram ao Brasil tomar caipirinha, Felipão e seus comandados levaram a sério e ganharam, metendo 3 a 0 na Espanha na final. Na Copa de 2014, no ano seguinte, sofremos a maior humilhação e o maior vexame de nossa história com os 10 a 1 aplicados por Alemanha, que nos meteu 7,e Holanda, que fez 3 a 0 na gente. Não se iluda, torcedor:oque vale mesmo é Copa do Mundo! 

Cruzeiro 

Contra a Chapecoense, hoje, no Independência, o Cruzeiro tem a chance de se redimir dos maus resultados e conseguir uma vitória expressiva para espantar a crise. Ainda que não haja racha no grupo e que Mano Menezes continue gozando de prestígio com a diretoria, a equipe caiu de forma assustadora, com péssimos resultados e futebol pobre. Já passou da hora de o time voltar a ser aquele confiável e seguro. Claro que com a parada dos campeonatos, por causa da Copa América, todos os clubes terão a chance se ajustar, e o Cruzeiro, que tem um grupo muito forte, poderá fazê-lo com mais competência ainda. Má fase, todos passam, porém, é preciso saber a hora de reavaliar o que de errado existe e ajustar os setores da equipe. Mano Menezes é um técnico competente e que sabe armar um time. Privilegia a defesa. Sempre foi assim e, por isso mesmo, o torcedor estranha quando vê o Cruzeiro levar 10 gols em três jogos, sendo goleado pelo Fluminense. Isso não é normal. Vale lembrar que os erros podem não estar na defesa e sim no meio-campo, que não está segurando a bola como deve, marcando mal e dando espaços aos adversários para complicarem avida dos defensores. No futebol, principalmente de hoje, todos os setores devem marcar para diminuir os espaços. Entretanto, se uma equipe é ofensiva ela preocupa o adversário o tempo todo,e quem tem que se defender é ele. No caso do Cruzeiro, mesmo com jogadores de talento na frente, Mano opta por se defender. Deu certo em duas conquistas de Copa do Brasil,mas não é uma boa receita para um time que, historicamente, joga bonito e com futebol de qualidade.

Tags: cruzeiroec selefut