UAI

2

Marquinhos explica como mudou o América no intervalo de jogo decisivo

Técnico do Coelho disse ter encontrado atletas 'cabisbaixos' no vestiário e promoveu mudanças em dois aspectos: tático e mental

03/03/2022 01:20 / atualizado em 04/03/2022 14:05
compartilhe
Técnico Marquinhos Santos, do América, durante duelo com o Guaraní pela Copa Libertadores
foto: Mourão Panda/América

Técnico Marquinhos Santos, do América, durante duelo com o Guaraní pela Copa Libertadores


Pareceram duas equipes diferentes em campo. No primeiro tempo, um América apático e desatento, que sofreu dois gols para o Guaraní antes mesmo dos 15 minutos no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Na segunda etapa, um time completamente 'ligado', buscando o gol e premiado com uma virada histórica por 3 a 2. Nesta quarta-feira (2), o técnico Marquinhos Santos explicou os segredos para a mudança do Coelho no intervalo do jogo decisivo pela Copa Libertadores.
 
 

Marquinhos disse ter encontrado os atletas americanos cabisbaixos no vestiário do Defensores durante o intervalo. O treinador promoveu mudanças de ordem tática, mas acima de tudo, focou no aspecto mental em busca da virada.

"No intervalo, eu percebi nossos atletas cabisbaixos no vestiário. Fiz algumas correções táticas, de posicionamento, mas encorajei para que nós pudéssemos, antes de pensar no terceiro gol, fazer o primeiro. O primeiro nos colocaria no jogo. Assim foi feito. Uma correção tática, de posicionamento, e muita positividade. Acreditar que era possível virar este jogo", explicou.
 

Fotos da torcida do América no Defensores del Chaco

 

"[Tiraram força de] Deus. Deus é a palavra. Fé. Fé. Foi isso que nós tratamos e, durante a semana, nos preparamos e trabalhamos muito para as situações que poderíamos encontrar aqui. Dentro dessa adversidade, nós treinamos as situações possíveis e executamos no jogo de hoje. Os atletas executaram aquilo que foi treinado. A fé, acima de tudo. Se não fosse da vontade de Deus, e da honra dele, nós não conseguiríamos", completou.

Por fim, Marquinhos Santos garantiu não se arrepender da escalação inicial do América, que pouco criou na primeira etapa. Na etapa complementar, os 'substitutos' Everaldo e Pedrinho mudaram a cara do Coelho e criaram muitas oportunidades pelos lados do campo.
 
 

"Não. Não acredito [que entrou com uma escalação errada]. Até porque nós fizemos um grande jogo lá em Belo Horizonte e não teria o porquê de mexer. O gol que sofremos aos 46min é oriundo do que é jogar Libertadores, mas os números apresentaram isso. Não tem o porquê de mexer o tempo todo na equipe, senão perde padrão, conceito, estrutura de equipe e modelo de jogo. É claro que, no decorrer do primeiro tempo, pela adversidade de estar sofrendo 2 a 0, o Azevedo com cartão amarelo... Ali, entendi que seria necessária a mudança. Fiz antes do intervalo para aquecer o Pedrinho para o segundo tempo", justificou.

Após um verdadeiro milagre em Assunção, no Paraguai, o América já conhece seu adversário na terceira fase da Copa Libertadores. Será o Barcelona de Guayaquil, do Equador

O jogo de ida, no Independência, será na próxima terça-feira, 8 de março. A partida de volta, no Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil, será no dia 15, também terça-feira.
 

Guaraní x América: fotos da partida em Assunção pela Libertadores

 

Compartilhe