UAI

2

América bate Barcelona nos pênaltis e avança aos grupos da Libertadores

Coelho contou com noite muito inspirada de Jailson e empatou com Barcelona em Guayaquil; nos pênaltis, clube mineiro fez história

15/03/2022 23:40 / atualizado em 16/03/2022 00:18
compartilhe
América bate Barcelona nos pênaltis e avança aos grupos da Libertadores
foto: Rodrigo Buendía/AFP

América bate Barcelona nos pênaltis e avança aos grupos da Libertadores


O América segue fazendo história na Copa Libertadores. Nesta terça-feira (15), o Coelho empatou em 0 a 0 com o Barcelona de Guayaquil no Estádio Banco Pichincha, no Equador, e venceu por 5 a 4 nos pênaltis. Com o resultado, o Coelho avançou pela primeira vez à fase de grupos do principal torneio continental.
 
 

A noite foi heroica por parte do goleiro Jailson. Após excelente atuação durante os 90 minutos, com grandes e importantes intervençõs, o arqueiro defendeu a cobrança de Quiñónez, do Barcelona, na disputa de pênaltis. Agora, o América aguarda o dia 25 de março para conhecer seus adversários na fase de grupos da competição. 

Antes de voltar a pensar na Libertadores, no entanto, o Coelho precisa cumprir calendário no Campeonato Mineiro. Eliminados de forma precoce, os comandados de Marquinhos Santos enfrentam o Tombense às 16h30 do sábado (19), no Estádio Independência, em Belo Horizonte. A partida é válida pela última rodada do Estadual.

Barcelona-EQU x América: fotos do jogo pela Libertadores


Equilíbrio na metade inicial


Diferentemente do que se viu no primeiro jogo entre América e Barcelona, no Independência, o duelo em Guayaquil começou com iniciativa dos equatorianos. Sem a bola na maior parte do tempo, o Coelho se defendia em bloco médio (na altura do meio-campo) e buscava fechar linhas de passe para os adversários.

Logo no primeiro minuto, em lance de bola parada, Jailson foi exigido e fez boa defesa em chute forte. No entanto, não houve pressão inicial do Barcelona. A equipe brasileira tinha dificuldade para encaixar contra-ataques, mas não cedia muitos espaços ao rival.

Com o decorrer do tempo, o confronto ganhou em equilíbrio. Os dois times alternavam em momentos com a posse de bola, mas encontravam problemas para superar a defesa adversária e não criavam boas chances.

Somente aos 31min, o América criou sua primeira oportunidade: em contra-ataque puxado por Pedrinho pela esquerda, Wellington Paulista foi acionado, cortou e bateu de fora da área, por cima. O Barcelona respondeu com duas finalizações, também de fora da área: uma foi defendida por Jailson e a outra foi para fora.

De modo geral, a primeira etapa foi marcada pelo equilíbrio. Por mais que os mandantes tenham criado mais ocasiões, o Coelho conseguiu controlar a posse de bola por mais tempo - ainda que tenha voltado a ser pouco criativo no momento ofensivo.

Lá e cá, com protagonismo de Jailson


O início do segundo tempo seguiu a toada do primeiro. Novamente, Barcelona e América alternavam em no controle da posse de bola, com um pouco mais de protagonismo do Coelho - que, neste momento, apostava mais em ataques pelo lado esquerdo, com Pedrinho.

Jailson, aos 15 minutos, foi responsável por mais uma importantíssima intervenção. Após lançamento nas costas da defesa do América, o goleiro bicampeão da Libertadores fez linda defesa em chute forte de Martinez, de dentro da área. Pouco depois, mais uma ação importante do arqueiro com saída do gol e interceptação.

Marquinhos Santos promoveu a entrada de Felipe Azevedo na vaga de um apagado Everaldo aos 20 minutos. Com a mudança, Pedrinho foi deslocado para o lado direito. Cada vez mais 'empurrado' para trás pelo Barcelona, o Coelho apostava no contra-ataque para tentar criar uma ocasião de gol.

E assim foi criada aquela que, até então, tinha sido a melhor chance do clube mineiro no segundo tempo, aos 30 minutos: depois de cruzamento de Pedrinho, Alê apareceu no ataque e finalizou de cabeça, rente à trave do Barcelona. Em seguida, Índio Ramírez e Zé Ricardo entraram nas vagas de Alê e Lucas Kal.

Na reta final, os equatorianos se lançaram ao ataque, mas o América seguia se defendendo bem. O 'Ídolo' chegou a ameaçar em lance de escanteio com Molina, que subiu sozinho e cabeceou para fora. O Coelho respondeu de imediato, com finalização muito forte de Zé Ricardo de fora da área.

Já nos acréscimos, com o jogo mais aberto, Índio Ramírez teve chance após novo contra-ataque do time mineiro. No entanto, o colombiano finalizou fraco, para defesa tranquila de Burrai. Germán Conti e Juninho Valoura entraram para cobrar pênaltis.

Penalidades máximas


Com categoria, Piñatares abriu com gol para o Barcelona (1 a 0). Wellington Paulista igualou com a tranquilidade usual (1 a 1). Na sequência, Jailson quase defendeu a cobrança de Byron Castillo, mas a bola entrou (2 a 1). Em mais uma cobrança com categoria, Iago Maidana voltou a empatar para o América (2 a 2).
 
Martinez voltou a deixar o Barcelona na frente (3 a 2). Felipe Azevedo cobrou com precisão e igualou (3 a 3). Na sequência, Jailson fez grande defesa em chute de Quiñónez. Com frieza, Índio Ramírez converteu e colocou o América na frente (4 a 3). De cavadinha, Damián Díaz empatou (4 a 4).
 
Juninho Valoura converteu a cobrança decisiva e colocou o América na fase de grupos da Copa Libertadores (5 a 4). Noite histórica para o Coelho em Guayaquil!
 

Barcelona 4 x 5 América: fotos da decisão nos pênaltis em Guayaquil

 
 

BARCELONA-EQU (4) 0x0 (5) AMÉRICA

 
Barcelona-EQU
 
Burrai; Byron Castillo, Sosa, Rodríguez e Quiñónez; Piñatares, Leonai Souza (Molina) e Martinez; Cortez (Damián Díaz), Castillo (Preciado) e Mastriani (Garcés). 
Técnico: Jorge Célico
 
América
 
Jailson; Patric, Iago Maidana, Éder e Marlon; Lucas Kal (Índio Ramírez), Juninho (Juninho Valoura) e Alê (Zé Ricardo); Everaldo (Felipe Azevedo), Pedrinho (Germán Conti) e Wellington Paulista.
Técnico: Marquinhos Santos
 
Motivo: jogo de volta da terceira fase da Copa Libertadores
Data: terça-feira, 15 de março de 2022
Local: Estádio Banco Pichincha, em Guayaquil
 
Árbitro: Patricio Loustau (Argentina)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky e Gabriel Chade (Argentina)
Cartões amarelos: Preciado (Barcelona); Éder, Lucas Kal, Índio Ramírez (América)

Compartilhe