UAI

2

Se fechar com Atlético, Jorge Jesus será o 14° técnico estrangeiro do clube

Treinador negocia com a diretoria do Galo e pode ser o substituto de Cuca

30/12/2021 06:00
compartilhe
Jorge Jesus deixou o comando do Benfica e iniciou conversas com Atlético
foto: CARLOS COSTA / AFP

Jorge Jesus deixou o comando do Benfica e iniciou conversas com Atlético


O técnico Jorge Jesus é o favorito da diretoria do Atlético para substituir Cuca na próxima temporada. O clube alvinegro já iniciou as conversas com o português e planeja fechar com futuro comandante nos próximos dias. Caso o 'Mister' assine o contrato, ele será o 14° treinador estrangeiro da história do Galo.

Veja técnicos sem clube que são opções no mercado



Dos 13 antecessores de Jesus, apenas cinco conquistaram títulos. O maior vencedor é o uruguaio Ricardo Díez. Ele comandou o Atlético na conquista de dois estaduais (1954 e 1955) e na excursão vitoriosa pela Europa, que rendeu ao Galo o título simbólico de "Campeão do Gelo" (veja os números no fim).

O último estrangeiro a comandar o Atlético foi Jorge Sampaoli, em 2020/21. O argentino chegou ao clube para substituir o venezuelano Rafael Dudamel, conquistou o Campeonato Mineiro e ajudou a montar a base do time que foi campeã brasileira ao fim deste ano com Cuca.

Se fechar com o Atlético, Jorge Jesus, de 67 anos, será o primeiro treinador português da história do clube. Passaram pelo clube seis uruguaios, dois húngaros, dois argentinos, um paraguaio, um peruano e um venezuelano.

Veja todas as contratações dos times da Série A para 2022



A negociação


O Atlético já apresentou o projeto para a temporada 2022 ao estafe do técnico Jorge Jesus. Ele é o favorito para assumir a vaga deixada por Cuca, que, por motivos pessoais, preferiu não cumprir o contrato até o fim do próximo ano. O Superesportes confirmou com uma fonte ligada à negociação que o treinador português tem em mãos uma oferta do Galo, mas não deve responder de imediato ao clube, pois pretende descansar e conversar com a família nos próximos dias.

Depois de um trabalho fantástico no Flamengo, em 2019 e 2020, quando conquistou cinco títulos (Campeonato Brasileiro, Copa Libertadores, Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e Campeonato Carioca), Jorge Jesus não teve sucesso na sua volta ao Benfica. Ele enfrentou problemas de vestiário e não conquistou títulos. Foi demitido nessa terça-feira (28).

Dentro do Atlético, Jorge Jesus conta com a simpatia do investidor Ricardo Guimarães, do BMG, entre outros membros do grupo que auxilia na gestão do clube. 

Veja a lista dos treinadores estrangeiros do Atlético


Jorge Sampaoli - argentino (2020/21)
45 jogos: 26 vitórias, 8 empates e 10 derrotas
Título: Campeonato Mineiro (2020)

Rafael Dudamel - venezuelano (2020)
10 jogos: 4 vitórias, 4 empates e duas derrotas

Diego Aguirre - uruguaio (2016)
31 jogos: 16 vitórias, 7 empates e 8 derrotas

Darío Pereyra - uruguaio (1999)
40 jogos: 21 vitórias, 8 empates e 11 derrotas
Título: Campeonato Mineiro (1999)

Walter Olivera - uruguaio (1985)
21 jogos: 9 vitórias, 11 empates e 1 derrota
Título: Campeonato Mineiro (1985)

Fleitas Solich - paraguaio (1967-1968)
49 jogos: 30 vitórias, 10 empates e 9 derrotas

Ondino Viera - uruguaio (1954-1955)
42 jogos: 26 vitórias, 8 empates e 8 derrotas

Ricardo Díez - uruguaio (1950-1951, 1955-1956 e 1958-1959)
171 jogos: 104 vitórias, 33 empates e 34 derrotas
Títulos: Campeonato do Gelo (1950) e Campeonato Mineiro (1954 e 1955)

Darío Letona - peruano (1947)
4 jogos: 3 vitórias e 1 empate

Felix Magno - uruguaio (1946-1948)
105 jogos: 69 vitórias, 19 empates e 17 derrotas
Títulos: Mineiro (1946 e 1947)

Ignác Amsel - húngaro (1945)
10 jogos: 4 vitórias e 6 derrotas

Gregório Suárez - argentino (1944)
16 jogos: 10 vitórias, 4 empates e 2 derrotas

Eugênio Medgyssy - húngaro (1928-1931)
53 jogos: 35 vitórias, 12 empates e 6 derrotas

Compartilhe