UAI

2

Como o atacante Fábio Gomes pode ajudar o Atlético? Analista opina

Dotado de boa estatura e força física, atleta de 24 anos apresenta características que podem casar com modelo de jogo de 'El Turco' no Galo

21/01/2022 15:15 / atualizado em 21/01/2022 16:36
compartilhe
Reforço do Atlético, Fábio Gomes disputa bola com Igor Rabello em treino nesta sexta-feira (21)
foto: Pedro Souza/Atlético

Reforço do Atlético, Fábio Gomes disputa bola com Igor Rabello em treino nesta sexta-feira (21)


Em 7 de janeiro, o Atlético anunciou a contratação do atacante Fábio Gomes, de 24 anos, que pertencia ao Oeste e estava emprestado ao New York Red Bulls, dos Estados Unidos. O jogador deixou boa impressão na Major League Soccer (MLS), e o Superesportes levantou o questionamento: como o reforço pode ajudar o Galo na temporada 2022?
 
 
 
Quem responde a pergunta é o analista de desempenho Pedro Torres. Especializado em tática no futebol, o profissional contribui em um portal do Twitter sobre a MLS (@territoriomls) e acompanhou a evolução de Fábio Gomes no NY Red Bulls.
 
Com 1,93m de altura, Fábio marcou sete gols e deu seis assistências em 31 jogos pelo NY Red Bulls na MLS. O centroavante também se destacou em 2019, quando terminou a Série B como vice-artilheiro defendendo o Oeste, com 15 gols em 32 partidas.
 

Seriedade e descontração: treino do Atlético na Cidade do Galo - 21/01

 

A chegada de Fábio Gomes ao Atlético é uma alternativa de custo inferior a Diego Costa, que rescindiu contrato e está próximo do Corinthians. Com salário superior a R$ 1 milhão por mês no Galo, o ex-Atlético de Madrid e Chelsea marcou cinco gols em 18 jogos e ficou distante do protagonismo de Hulk, autor de 36 gols em 68 partidas em 2021 e principal nome nas conquistas da Copa do Brasil e do Brasileirão.
 
Veja, a seguir, o parecer técnico de Pedro Torres sobre Fábio Gomes. Confira, também, uma vídeo-análise editada pelo profissional com lances do jogador. 
 
Opinião
Pedro Torres, analista de desempenho
 
"O Fábio Gomes é um centroavante, como todo mundo já viu. Num comparativo entre ele e o Diego Costa, eu acho que são características bem distintas: o Diego Costa é um cara mais do arranque, mais da velocidade; o Fábio tem essa saída da área, apesar de ser grande, e participa mais no jogo de um toque, na parede, até pelas características físicas dele.
 
No NY Red Bulls, a galera vê a média de gols e pode criticar, mas a produção ofensiva da equipe foi bem abaixo na temporada. Eles classificaram para os playoffs nas últimas vagas da conferência.
 
 
 
Em questão de características, o Fábio é um jogador muito participativo. Ele sabe jogar fora da área. Não é tão rápido como o Diego Costa, mas gosta bastante desse jogo de atacar o espaço, de se posicionar às costas da linha de defesa adversária. Ele faz bom aproveitamento da estatura e das valências físicas: consegue se impor, fazer um jogo de corpo, ganha na força física, segura o adversário para poder finalizar.
 
É um atleta que finaliza bem. Talvez, peque um pouquinho na tomada de decisão na hora de finalizar, mas finaliza bem. A escolha da finalização, às vezes, não é tão boa, mas é um atleta que tem uma finalização forte. Muitas vezes com categoria, com tranquilidade.

Eu creio que o Fábio chega no Atlético para ser, num primeiro momento, um cara para compor o elenco. Um reserva que vai participar com frequência, mas que pode combinar características totalmente com o Hulk, por exemplo. O Hulk como um segundo atacante e o Fábio mais na referência. Eu acho que é um bom reforço, um bom movimento. Um atleta que vem sem tanta pressão de ser decisivo no time, e aí pode agregar bastante.
 

Veja os melhores time do mundo, de acordo com a IFFHS

 
 
Faz gols. Em determinado momento da MLS, ele chegou a ser o líder de assistências da temporada. Depois, foi ultrapassado por Carles Gil, do time que teve a melhor campanha da liga. Mas o Fábio teve cinco ou seis assistências na temporada, então também consegue contribuir além dos gols. É um atleta dedicado. No futebol japonês, não teve tanta sorte, mas fez uma boa Série B no time do Oeste, que não era tão forte. Na MLS, foi bem. Foi importante. Acabou não ficando por problemas com relação ao número de estrangeiros no clube e outras coisas mais.
 
Algumas características do Fábio não foram tão exploradas no NY Red Bulls, ou foram pouco exploradas, como por exemplo esse jogo de ataque ao espaço. Mas é um atleta que chega para agregar ao elenco do Atlético e, dentro de algumas características do Turco Mohamed, pode ajudar nesse jogo de imposição física, de vitória em duelo aéreo. Tende a ter uma boa passagem pelo Atlético".
 

Veja todos os jogadores que iniciam a pré-temporada do Atlético



Compartilhe