UAI

2

Confusão marca fim do primeiro tempo do jogo entre Fluminense e Atlético

Atacante Luiz Henrique, do tricolor, motivou a ira do técnico Turco Mohamed, que invadiu o campo e foi cercado por adversários

08/06/2022 22:51 / atualizado em 08/06/2022 23:24
compartilhe
Turco Mohamed invadiu campo e foi cercado por jogadores do Fluminense
foto: Reprodução/Premiere

Turco Mohamed invadiu campo e foi cercado por jogadores do Fluminense


Um princípio de tumulto marcou o fim do primeiro tempo do confronto entre Fluminense e Atlético, nesta quarta-feira, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Depois que o volante Jair diminuiu o placar em 3 a 2 para o tricolor, já nos acréscimos, houve uma confusão na saída dos jogadores para o vestiário. 

O técnico Antonio Mohamed invadiu o campo e foi cercado pelos jogadores e parte da comissão técnica do Fluminense. O comandante do Galo foi protegido pelos seus atletas, e houve muito bate-boca até o túnel de acesso para o gramado. O volante Felipe Melo, do Fluminense, conversou com o atacante Hulk, em meio a seguranças e policiais que rondavam a passagem para o vestiário. 

Fluminense x Atlético: as fotos dos gols do Tricolor no Maracanã



O motivo da bronca de Mohamed teria sido a comemoração do terceiro gol do Fluminense, marcado por Samuel Xavier. O atacante Luiz Henrique, que fez o cruzamento para o companheiro emendar de cabeça para as redes, foi acusado pelo técnico e por alguns jogadores do Galo, como Hulk, de ter provocado os marcadores ao buscar o drible na linha de fundo. 

Fluminense x Atlético: as fotos dos gols do Galo



Antes de descer para o vestiário, Luiz Henrique esperou que os ânimos se acalmassem e deu a versão para o caso que causou a ira do treinador argentino. "Aí eu saí e ele falou: 'Sai comemorando, filha da p*'. Eu não falei nada, só fiquei quieto. Só isso. Não é nada demais. Emoção de jogo é assim mesmo. Acontece", relatou o jovem atacante tricolor.

Na confusão, Turco Mohamed foi advertido pelo árbitro Pedro Vuaden com o cartão amarelo. O mesmo ocorreu com o comandante do Fluminense, Fernando Diniz, que reclamou do tempo de acréscimo até o segundo gol do Galo. 


Compartilhe