Brusque

SÉRIE B

Após nota 'infeliz', Brusque pede desculpa a Celsinho, alvo de racismo

Clube catarinense chegou a alegar que o jogador do Londrina fez 'falsa imputação de crime' ao denunciar insultos racistas

postado em 31/08/2021 12:27 / atualizado em 31/08/2021 12:41

(Foto: Divulgação/Londrina)

Em nota oficial divulgada nessa segunda-feira, o Brusque tentou se retratar com um pedido de desculpas ao meia-atacante Celsinho, do Londrina, que foi vítima de racismo na partida entre as equipes, no sábado passado, pela 21ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Em comunicado anterior, a diretoria quadricolor alegou que o jogador fez uma 'falsa imputação de crime' quando denunciou a injúria racial feita por uma pessoa ligada ao clube catarinense. 

"O Brusque, diante do ocorrido, vem respeitosamente pedir desculpas ao atleta Celso Honorato Junior pelo transtorno causado a sua pessoa, a nossa torcida, simpatizantes, patrocinadores e imprensa devido ao nosso posicionamento equivocado. Nosso clube sempre foi e será contra qualquer tipo de discriminação causada por diferenças ideológicas, crença, raça ou gênero.  O Brusque tomará todas as medidas cabíveis diante do ocorrido e vai apurar os fatos", diz o comunicado assinado pelo presidente Danilo Rezini

O Brusque ainda classificou a nota anterior como 'momento infeliz'. "Esperamos que entendam esse momento infeliz que estamos vivendo, cabe a nós, humildemente reconhecer o erro da nota anterior e pedir desculpas mais uma vez ao atleta Celsinho e a compreensão de todos", complementou. 

O comentário racista vindo fora de campo foi registrado pelo árbitro Fábio Augusto Santos Sá Junior na súmula da partida. De acordo com o documento, um integrante do estafe do clube catarinense disse a Celsinho: "Vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha". No intervalo, o jogador do Londrina denunciou os insultos ao quarto árbitro. 

Em entrevista após a partida, Celsinho lamentou o episódio. "Não sei se ele faz parte da comissão técnica, da diretoria, um senhor de vermelho no camarote. Também não entendo por que tem tantas pessoas assim em um protocolo que não estão liberados os jogos para os torcedores. É lamentável. Uma equipe de porte médio baixo recém-promovida à Série B de Brasileiro estar cometendo um ato desses é inadmissível, mas as providências serão tomadas", declarou ao Premiere. 

O Londrina se manifestou em apoio a Celsinho e repudiou a primeira nota divulgada pelo Brusque e prometeu medidas jurídicas. "Basta! Até quando conviveremos com estes insultos criminosos?! Não dá para tolerar ou aceitar que ainda haja pessoas que pratiquem atos de racismo!! Continuaremos com a nossa luta diária, rechaçando e adotando as diligências cabíveis a cada atitude criminosa perpetrada neste sentido", 

Racismo recorrente


Esta foi a terceira vez na Série B deste ano que Celsinho é alvo de racismo. Em julho, na partida entre Londrina e Goiás,  um narrador e um comentarista da Rádio Bandeirantes de Goiânia falaram que o jogador tinha "cabelo pesado". Eles também usaram termos como "bandeira de feijão" e "um negócio imundo" sobre o penteado do atleta. Apesar das desculpas nas redes sociais, os profissionais foram afastados da emissora.

Na semana seguinte ao caso, foi a vez do narrador Cláudio Guimarães, da Rádio Clube do Pará, usar expressões racistas para se referir a Celsinho.  "Vai com seu cabelo meio ninho de cupim para bater na bola", disse na transmissão do jogo entre Remo e Londrina. Ele também se desculpou e foi afastado da rádio. 










Tags: serieb interiormg futnacional seriea londrinapr