Cruzeiro

Copa do Brasil

Análise: Cruzeiro precisa de projeto de recuperação de longo prazo

Queda na terceira fase da Copa do Brasil, para o limitado Juazeirense-BA, custou cargo ao técnico Felipe Conceição, mas é consequência da falta de planejamento

postado em 09/06/2021 21:41 / atualizado em 09/06/2021 23:35

(Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

O Cruzeiro continua seguindo a cartilha do fracasso. Sem um projeto de recuperação de longo prazo, ao menos de forma pública, será difícil conquistar bons resultados em campo, independentemente de o treinador ser experiente, como era Luiz Felipe Scolari, ou da nova geração, caso de Felipe Conceição.
 
O mesmo vale para os jogadores. Ninguém será poupado da máquina celeste de moer atletas, seja artilheiro das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, como Marcelo Moreno, seja um jovem promissor como Bruno Nazário, com vasto caminho pela frente.
 
Felipe Conceição tem boas ideias sobre futebol e vinha tentando implementá-las. Porém, esbarrou tanto nas limitações técnicas dos comandados quanto na insistência em algumas convicções equivocadas, próprias de quem ainda começa em qualquer profissão, por mais que seja inteligente e estudioso.
 
Para completar, o clube celeste tem um componente que dificulta o trabalho de qualquer profissional: salários atrasados. Não adianta pedir empenho, escolher a melhor tática, escalar os melhores jogadores, se no quinto dia útil não cair o dinheiro na conta do trabalhador.
 
Assim, não bastará a diretoria celeste escolher o melhor nome possível, dentro das possibilidades disponíveis e da capacidade do clube, para comandar a equipe na árdua tarefa de voltar à Série A. Será preciso também garantir que ele encontrará clima favorável na Toca da Raposa II. Se der para buscar reforços, também será muito bom.

Tags: Copa do Brasil Cruzeiro Felipe Conceição Juazeirense Demissão Eliminação